PF indicia Aécio Neves sob suspeita de desvios em obras de sede do governo de MG

PF indicia Aécio Neves sob suspeita de desvios em obras de sede do governo de MG. Foto: Band

A Polícia Federal em Minas Gerais indiciou na tarde de quinta-feira, 7 de maio, o deputado estadual Aécio Neves (PSDB-MG), além de outras 11 pessoas, por supostos desvios e irregularidades na construção do complexo da Cidade Administrativa, sede do governo do estado, em Belo Horizonte.

O grupo foi acusado de corrupção passiva e ativa, desvio de recursos públicos e falsidade ideológica. Os onze indiciados ao lado de Aécio Neves são representantes das empreiteiras envolvidas, mas não tiveram os nomes divulgados.

A investigação da PF, iniciada em 2017 com base em fatos relatados por executivos e funcionários da empreiteira Odebrecht em delação premiada, apurou o processo de licitação, contratações e execução das obras do complexo, ocorridos entre 2007 e 2010, na gestão de Aécio Neves no estado.

De acordo com o relatório da PF, entregue à Justiça Estadual, o processo de licitação foi dirigido para que um grupo de empreiteiras vencesse a licitação. Há, ainda, indícios de desvio de recursos públicos através de contratações fictícias, cujas prestações de serviços não foram executadas na obra. A investigação apontou que o prejuízo aos cofres públicos totalizaram quase R$ 747 milhões.

Inicialmente, a construção da Cidade Administrativa foi orçada em R$ 900 milhões. O Tribunal de Contas do Estado afirma que o custo da obra passou de R$ 1,8 bilhão.

Compilação: Veja e Folha

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui