Pesquisa avaliará avanços viabilizados pelo Governo do Estado junto a organizações econômicas

Pesquisa avaliará avanços viabilizados pelo Governo do Estado junto a organizações econômicas. Foto: Ascom

A evolução do trabalho realizado pelo Governo do Estado junto a organizações econômicas será aferida, por meio de pesquisa, nos cinco territórios de identidade que compõem a área de atuação do projeto Pró-Semiárido. Dentre outros aspectos, serão avaliados o nível de organização desses coletivos, o impacto na renda dos(as) agricultores(as) com a comercialização de produtos da agricultura familiar, a participação das mulheres e jovens, o acesso a políticas públicas, as principais dificuldades e os resultados alcançados. Os questionários serão aplicados junto a 77 organizações econômicas, de forma virtual.

A primeira etapa da aplicação dos questionários foi concluída, na última sexta-feira (17), e ouviu agricultoras(es) de 25 grupos produtivos dos Territórios de Identidade Piemonte da Diamantina e Bacia do Jacuípe. Esses coletivos trabalham, prioritariamente, com a comercialização de produtos fabricados a partir do beneficiamento de derivados da mandioca e de frutas da região, como biscoitos, pães, bolos, pizzas, avoadores, salgados, doces, geleias, picolés, polpas de frutas, licores e cocadas. As receitas são preparadas com matérias-primas oriundas dos quintais e roçados das famílias agricultoras e as vendas realizadas na própria comunidade, pela internet, feiras livre, supermercados e por meio do acesso a políticas públicas como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

A partir dos resultados da pesquisa, serão estabelecidas estratégias para assegurar a sustentabilidade das ações após a conclusão do projeto. “Esse trabalho é fundamental para entendermos como de fato o Pro-Semiárido tem contribuído com geração de renda, organização produtiva e, consequentemente, melhoria das condições de vida da população beneficiária, a partir dos grupos produtivos, em sua maioria liderados por mulheres. Do ponto de vista da área de Monitoria e Avaliação, é uma oportunidade de evidenciar esses resultados, a partir de ferramentas simples e que possibilitam ao projeto um olhar analítico e estratégico para uma focalização de suas ações nesta reta de consolidação das ações”, explica Carla Ferreira, técnica da área de Monitoria e Avaliação do Pró-Semiárido.

“A realização da pesquisa tem servido, também, para que os grupos se autoavaliem, reflitam sobre suas trajetórias, dificuldades e as perspectivas para o futuro após a saída do projeto. Esse trabalho tem mudado a vida das comunidades, sobretudo das mulheres, dando um novo sentido para suas vidas, a partir da geração de renda, do trabalho coletivo e da valorização da agricultura familiar”, enfatiza a coordenadora local do Pró-Semiárido, Rejane Magalhães.

O Governo do Estado tem apoiado os grupos produtivos com a estruturação de cozinhas comunitárias para processamento de alimentos, aquisição de equipamento e utensílios, com capacitações e apoio na comercialização dos produtos. O projeto Pró-Semiárido é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui