Pedágios no Extremo Sul – entenda assunto que viralizou na Bahia

Pedágios na BR-101 – entenda assunto que viralizou na Bahia. Foto reprodução/Google

Desde a semana passada circula em diversos blogs da Bahia a informação de que haverá cobrança de pedágio na BR-101, com destaque para trechos da região Extremo Sul.

OSollo verificou e descobriu que a notícia é antiga: 2013!

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realmente publicou no Diário Oficial da União de quinta-feira, 29 de agosto, o aviso de edital de concessão de um trecho de 772 quilômetros da BR-101, na Bahia, incluindo cidades do Extremo Sul – mas, a publicação foi no ano de 2013.

Confira abaixo o texto original, divulgado pelo Governo Federal, à época:

ANTT publica aviso de edital de concessão da BR-101, na Bahia

  • Clique AQUI e acesse a notícia original, publicada em 29/08/2013
A concessão irá garantir a duplicação da rodovia, além da exploração por 30 anos da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação e implantação de melhorias no trecho de 772,3 quilômetros, com início no entroncamento com a BR-324 (Km 166,5), em Feira de Santana (BA), terminando no entroncamento com a BA- 698 (Km 938,8), no acesso a Mucuri (BA). O leilão será realizado no dia 23 de outubro.

AAgência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou no Diário Oficial da União desta quinta-feira (29/08) o aviso de edital de concessão da BR-101, na Bahia. Este é o segundo edital de obras integrantes do Programa de Investimentos em Logística (PIL) já publicado. A concessão irá garantir a duplicação da rodovia, além da exploração por 30 anos da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação e implantação de melhorias no trecho de 772,3 quilômetros, com início no entroncamento com a BR-324 (Km 166,5), em Feira de Santana (BA), terminando no entroncamento com a BA- 698 (Km 938,8), no acesso a Mucuri (BA). O leilão será realizado no dia 23 de outubro.

O sistema rodoviário em questão abrange 52 municípios da Bahia: Alcobaça, Arataca, Aurelino Leal, Barro Preto, Belmonte, Buerarema, Cachoeira, Camacan, Camamu, Caravelas, Conceição da Feira, Conceição do Almeida , Conceição do Jacuípe, Cruz das Almas, Eunápolis, Feira de Santana, Gandu, Governador Mangabeira, Ibirapitanga, Ibirapuã, Ilhéus, Itabela, Itabuna, Itacaré, Itagimirim, Itajuípe, Itamaraju, Itapebi, Laje, Marau, Mascote, Mucuri, Muritiba, Mutuípe, Nova Ibiá, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Presidente Tancredo Neves, Santo Antônio do Jesus, São Gonçalo dos Campos, São José da Vitória, São Miguel das Matas , Sapeaçu, Teolândia, Teixeira de Freitas, Ubaitaba, Ubatã, Uruçuca, Valença , Vereda e Wenceslau Guimarães.

O esquema de pedágio da rodovia foi definido com nove praças de pedágios, conforme ilustrado a seguir:

 

Localização das praças de pedágios ao longo da rodovia BR-101/BA

No Praça km
1 São Gonçalo dos Campos 181/BA
2 Conceição do Almeida 256/BA
3 Teolândia / Presidente Tancredo Neves 334/BA
4 Ubaitaba 439/BA
5 Buerarema 532/BA
6 Mascote 631/BA
7 Itabela 732/BA
8 Itamaraju 797/BA
9 Caravelas 891/BA

A cobrança da tarifa de pedágio somente poderá ter início após a conclusão dos trabalhos iniciais no sistema rodoviário e a execução de 10% das obras de duplicação. Veja, abaixo, o valor das tarifas:

  Mai/2012 (R$)
Tarifa por km 0,1198
Tarifa praça 1 6,20
Tarifa praça 2 9,20
Tarifa praça 3 11,00
Tarifa praça 4 11,90
Tarifa praça 5 11,50
Tarifa praça 6 12,00
Tarifa praça 7 9,90
Tarifa praça 8 9,50
Tarifa praça 9 11,40

 

A duplicação do trecho concedido deve ser concluída até o final do quinto ano do prazo da concessão, conforme cronograma a seguir:

Quantitativo de duplicação por ano (%)

Ano Extensão (km) % do Total a ser duplicado
0 0%
88,2 16%
132,3 24%
187,4 34%
143,3 26%
Total para implantação 551,3 100%
Trecho duplicado 0
Extensão em duplicação pelo DNIT 221,0
Extensão do lote 772,3

Os orçamentos de investimentos e custos de operação foram feitos com base nos custos unitários das obras, equipamentos e serviços, e nos cronogramas de aquisição, reposição e operação. Esses cronogramas foram definidos em função do crescimento do tráfego e da manutenção dos padrões de qualidade estabelecidos para a rodovia. Os valores de investimentos previstos são de R$ 4,61 bilhões, além de R$ 17,23 bilhões de receita de pedágio e R$ 2,98 bilhões de custos operacionais (preços de maio/2012).

O Programa de Exploração Rodoviária (PER) define as seguintes melhorias físicas e operacionais:
•    Implantação de 56 interseções, sendo 52 interconexões diamante, três interconexões trombeta e um retorno operacional até o 5º ano e outras 11 interseções até o final da concessão;
•    Implantação de 26 passarelas até o 5º ano e outras seis até o final da concessão;
•    Implantação de 38 melhorias em acesso até o 5º ano e mais oito até o final da concessão; e
•    Implantação de 67,9 km de vias marginais em travessias urbanas, segundo extensões definidas no PER até o 6º ano e outros 14 km até o final da concessão.

O projeto de concessão teve ajustes recentes fruto de acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU).

O Edital deste lote está disponível na página da ANTT na internet .

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui