Para que saibam

“Mas, para que vocês saibam que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados — disse ao paralítico — eu lhe digo: Levante-se, pegue a sua maca e vá para casa”. (Marcos 2.10-11)

Jesus realizou muitos milagres e curas em Seu ministério terreno. Na grande maioria das vezes não deu explicações quanto à razão ou critérios usados para fazer o que fez. Ele não curou todos os doentes e não realizou cada milagre que as pessoas esperavam que realizasse. O texto bíblico de hoje é um dos poucos em que Jesus declara uma das razões de curar o paralítico sobre quem lemos ontem. Não significa que era a única razão, pois Jesus amou cada pessoa que dele se aproximou. Ele foi sensível à fé e dor, e segui-lo é aprender a ser igualmente sensível e a amar. Ao falar ao paralítico sobre o perdão dos pecados, os escribas (teólogos daquele tempo) entenderam ser impróprio o que Jesus havia dito. Segundo sua teologia, somente Deus poderia perdoar pecados. E estavam certos, mas estavam errados.

A compreensão sobre o perdão dos pecados ser algo divino era correta, o erro deles era não reconhecer Jesus como o Filho de Deus, a manifestação na história de Deus, em pessoa, entre os homens. Seu erro era não entender a profecia que anunciava o Emanuel, o Deus Conosco, realizada em Cristo Jesus. Não é de se admirar que não compreendamos ou reconheçamos Deus. O pecado em nós nos deixa cegos. Nossa lógica é pequena e limitada demais! Por isso somos desafiados a crer. Jesus afirmou que se não crermos em quem Ele é, vamos morrer nos nossos pecados (Jo 8.24). Mas Jesus, conhecendo nossa limitação, manifesta Seu poder, fala uma linguagem que nos dá oportunidade de rever nossos conceitos sobre Ele. Foi o que fez com aqueles doutores da Lei.

O testemunho dos Evangelhos e a vida de muitas pessoas que creram em Cristo e são seus discípulos de verdade, são a manifestação do Reino de Deus entre nós. Somos convidados a crer e nos tornar manifestações do Reino de Deus. Ao curar o paralítico, Jesus oportunizou aos escribas o arrependimento que nos habilita ao Reino de Deus. Algumas pessoas impõem condições a Deus para crer: “se Deus fizer isso ou aquilo, se Ele me provar dessa ou daquela maneira, eu vou crer e seguir a Cristo”. Não devemos agir assim. O testemunho do poder e da graça de Cristo já foram dados. Agora a palavra está com cada um de nós para dizermos “eu creio” ou continuarmos julgando tudo segundo nossos limitados parâmetros. Quantos paralíticos precisariam andar para que você creia? Que aquele seja bastante.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui