O sacrifício cristão

“Jesus dizia a todos: Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me.” (Lucas 9.23)

Não fica bem falar em sacrifícios hoje. A menos que se refira a sacrifícios como meio para a autogratificação. É com sacrifício que se alcança, por exemplo, a autogratificação do corpo perfeito, das medidas eleitas pela estética atual. São apenas aparências, mas, são valiosas no mundo de hoje. Todos nos sentimos, de alguma forma, necessitados de certa quantidade delas. E elas, mesmo sendo aparências, exigem esforços. Quanto mais aquilo exige esforço aquilo que é essencial. O ar está à nossa disposição, mas depende de nós preservar nosso sistema respiratório, e isso exige cuidado, esforço. Você estaria disposto a realizar sacrifícios, esforços por sua saúde e maturidade espiritual? Ser discípulo de Jesus nos leva a saúde interior que precisamos. Mas Ele avisou que será preciso esforço,  sacrifício. Na vida aqui, neste planeta, tanto emagrecer quanto crer exigem sacrifícios.

Jesus nos chama a segui-lo e assim honrar, servir e desfrutar a presença de Deus. Mas será preciso o esforço, o sacrifício de lidar conosco mesmos. Com nossas perspectivas de vida que estejam desviadas de Deus, bem como com nossas perspectivas religiosas, que estejam equivocadas sobre Deus. Cuidado: o critério não é você mesmo, seu coração. As Escrituras revelam que muitas vezes pessoas se desviaram da vontade de Deus seguras, certas de estarem cumprindo a vontade dele. Quanto à vida, o coração humano será sempre enganoso. Quanto ao Reino de Deus é pior: ele é cego! Precisamos da luz do Espírito Santo.

Portanto, esteja atento. Para seguir a Jesus seu maior desafio será lidar consigo mesmo. A impiedade pode lhe habitar, e fará isso as vezes fantasiada de piedade. A dureza de coração e incapacidade de refletir também podem lhe habitar, fantasiadas de, por exemplo, firmeza na fé e apego à verdade. Nossas tradições religiosas, tão preciosas ontem, podem hoje estar nos impedindo de amar e servir. Corremos o risco de soprar mosquitos e engolir camelos. Podemos chamar de sagrado o que é comum e temporal e desprezar o que é de fato sagrado, e eterno. Quando estas coisas acontecem, falhamos em amar e servir. Permanecemos imaturos. Em suas orações, peça a Deus para seguir a Jesus e enfrentar a si mesmo. Só assim poderá amar, servir e amadurecer. Talvez você saiba bem o que significa dizer não a uma tentação. Mas já entendeu a dimensão e o significado dizer não a si mesmo?

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui