O que falta ao mundo?

“…ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor, pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.”
(Filipenses 2.12-13)

O fato de você ter sido perdoado, amado, recebido como filho de Deus e de ter a presença o Espírito Santo, tem feito diferença na vida que acontece ao meu redor? Suas atitudes e realizações tem sofrido influência de sua fé em Deus, de Seu amor e graça? É seu chamado e vocação, como seguidor de Jesus, que sua vida contribua com outras vidas. Seja uma benção! Faça disso uma missão diária. Não importa sua ocupação, se é estudante, aposentado, desempregado, professora, varredor de rua, porteiro, diretor de uma empresa, psicólogo, aviadora, policial, enfermeira ou dirige um caminhão. Você pode ser e deve ser uma benção.

Vinte e um séculos depois do nascimento de Cristo, tantas coisas mudaram. A igreja e a fé se sofisticaram. Temos muito mais tecnologia, recursos e estrutura. Somos muito mais numerosos. Mas isso não significa que estejamos fazer uma diferença maior no mundo do que fizeram as primeiras igrejas e cristãos. Será que nossa presença tem facilitado a compreensão do Evangelho de Jesus? Somos um incentivo à fé em Cristo como Senhor e Salvador? Ele disse: “Deixo-lhes a minha paz; a minha paz lhes dou. Não tenham medo! ”(Jo 14.27). Somos pessoas em paz e transmitindo a outros a paz que recebemos do nosso Mestre? Costumamos dizer que o que falta ao mundo é Deus. Pense comigo: o que falta ao mundo, na verdade, somos eu e você e outros sendo veículos da graça de Deus. Nossas igrejas estão cheias de músicas e orações, mas nossas cidades estão vazias do amor e da graça de Deus. Como podemos mudar isso?

Não devemos pensar que somos melhores e nem que somos fortes ou santos. Devemos nos ver como iguais a todo ser humano. Devemos nos ver na condição de cada pecador, especialmente dos piores. E então deixar Deus fazer toda diferença. Em nós e por meio de nós. Assim mostraremos melhor, de forma mais clara, o que o Evangelho fala sobre o amor de Deus. Não devemos nos conformar ao mundo religioso, mas nos transformar em nosso modo de pensar a vida, pois ela está acontecendo e se complicando. Nossas certezas sobre com se deve batizar alguém não muda em nada a vida de quem se perdeu de Deus. Precisamos entender mais de pessoas e crer mais no Evangelho. Não se ocupe em “ganhar o outro para Jesus”. Deixe isso com o Espírito Santo. Ocupe-se de amar o outro em nome de Jesus. Isso bastará. Preferi fazer recomendações de forma negativa, embora muitos não recomendem isso, porque não faremos melhor se continuarmos iludidos com o que temos feito. Nossos cultos não fazem falta ao mundo. Nossa vida em adoração a Deus sim!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui