O Encontro de Cordas que tornou Teixeira de Freitas muito mais musical

O Encontro de Cordas que tornou Teixeira de Freitas muito mais musical. Fotos: Decom ICED

A Música de Concerto foi o melhor argumento para que centenas de pessoas saíssem de casa todas as noites na última semana. Em Teixeira de Freitas, de 23 a 28 de julho, o Festival Encontro de Cordas, em sua 6ª edição, com o tema “Do Erudito à Sanfona”, superou as expectativas mais otimistas. Com casa lotada, as apresentações comoveram plateia e músicos. O evento, realizado pelo Instituto de Cultura, Educação e Desenvolvimento (ICED), transformou a cidade em um Centro Musical e atraiu outros eventos, que ocorreram, antes e depois da semana de concertos. E assim, mais uma vez, o Encontro cumpriu sua missão de ser um celeiro de aprendizado e uma vitrine para novos e grandes talentos artísticos.

 

O passo a passo das apresentações

Para os músicos participantes, o Encontro de Cordas começa muito antes, com as inscrições e todo o trâmite para garantir vaga no “Master Class” preferido. Nestas aulas, eles têm contato com profissionais que são referência em suas áreas de atuação. Para a produção, as atividades começam cerca de um ano antes. “Na hora em que termina um, já estamos organizando o próximo”, contou o maestro Orley Silva, coordenador artístico do ICED e idealizador do Encontro de Cordas.

Para o público, o evento começa quando se iniciam as apresentações. A primeira deste ano foi sobre o Movimento Armorial, que fez parte do Tropicalismo e teve como grande pensador o escritor Ariano Suassuna. O auditório do Cetepes ficou pequeno para o público. O show da noite ficou por conta da Camerata do ICED sob a regência do Maestro Orley Silva.

A terça-feira trouxe uma atração diferente, a Orquestra Santo Antônio, também conhecida como a Orquestra do Sisal, que veio de Conceição do Coité e fez um concerto performático. Com roupas coloridas e sandálias de couro, eles tocaram e dançaram. A plateia correspondeu com muita vibração, do mesmo modo que aconteceu na quarta-feira, quando a noite foi da Sanfona, em uma apresentação “vibrante e muito simpática”, como descreveu a estudante Ana Paula Almeida. No palco estavam Junior Lima (Baixo), Wesley Almeida, o Beka (Bateria), Naum Galdino (Violão) e Gerli Junior no comando da Sanfona – a estrela da noite.

Os três últimos concertos mudaram de endereço. Saíram do Cetepes e foram para a Igreja Batista Memorial (IBM), auditório e palco ainda maiores do que o primeiro. Mais uma vez a plateia lotou o espaço a ponto de muitos terem que assistir em pé, apesar das cadeiras extras colocadas. A regência ficou por conta do venezuelano Eduardo Salazar.

A quinta-feira foi dos solistas e Orquestra de Câmara do Encontro. Um momento especial para o público foi a homenagem a Tarcísio Galvão, jovem maestro teixeirense, que teve uma obra sua, “Entre Estações” apresentada pela instrumentista de oboé (Oboísta), Sandra Romero, entre outros músicos que levaram obras de Mozart, Vivaldi… A cada apresentação, a sensação da plateia era de que corpos e instrumentos, ali postos, eram extensões em plena harmonia.

A noite dedicada aos Grandes Compositores foi a de sexta-feira. A Camerata do Encontro, emocionou os presentes com um repertório clássico, aumentando ainda mais a expectativa para a grande noite de encerramento. E assim, no sábado, com o maior palco já montado em todas as edições do Encontro de Cordas do ICED e a maior formação de todas, o espetáculo foi igualmente grande em vibração.

A Orquestra Regional foi comandada por Eduardo Salazar, e a simpática e talentosa Orquestra Infantil, regida por Orley Silva. O presente da noite foi a apresentação do maestro Ricardo Castro ao piano. Um dos grandes pianistas da atualidade, à disposição do público, que nesta noite, contou com a presença do Superintendente de Cultura do Estado da Bahia Sandro Magalhães, da Secretária de Cultura Arany Santana e outras autoridades.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia

Eixos de contato

Em solo teixeirense, o maestro Ricardo Castro, criador do Neojiba, concedeu uma entrevista à emissora de Rádio Sucesso FM em que falou da excelência do trabalho prestado pelo ICED. Ao ser questionado pelo apresentador Cícero Dantas acerca dos eixos de contato entre o Neojiba e o ICED, ele foi enfático: “temos metas muito similares e trabalhamos norteados pelo valor da excelência.”.

Eventos complementares

O movimento musical em Teixeira de Freitas começou uma semana antes do Encontro de Cordas. Entre os dias 16 e 20 de julho, Teixeira de Freitas recebeu a primeira das 3 edições previstas para 2017 do “Módulo Pedagógico” . A ação foi um intercâmbio pedagógico entre o NEOJIBA e o ICED.

Durante a semana do Encontro, e agregado ao evento, aconteceu o II Seminário Pedagógico da Rede 2018, marcado pela presença dos professores nas aulas, e o V Encontro de Gestores de Projetos Musicais da Bahia. O último, teve todas as edições anteriores em salvador, mas neste ano, foi realizado em Teixeira de Freitas, para possibilitar que as experiências daqui fossem vivenciadas por todos.

Além disso, houve o III Colóquio Nacional de Educação Musical, promovido pelo ICED. O maestro Ricardo Castro foi um dos palestrantes, ao lado de outros renomados como o professor doutor José Henrique Campos, a professora doutora Edineiram Maciel e o maestro Orley Silva. A temática deste ano foi: “O Ensino Coletivo de Música em Espaços Não Formais como Recurso Didático no Processo de Formação Docente”.

Fonte: Decom ICED/Michele Ribeiro

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui