O CANTO DO PASSARINHO

Sentado à beira do caminho
Ouvia um passarinho cantar
No mundo estava sozinho
Sua história começou a contar:
Vivia num paraíso sem fim
Um lugar pleno de paz e amor
A vida sorria pra mim
Num mundo belo e encantador.
Foi o homem nobre poeta
Que destruiu o meu leito
Colocou fogo em toda floresta
Arrancou o coração do meu peito.
A melodia do meu canto
Retrata a dor e o sofrimento
Da virgem mata transformada em negro manto
Meu tranquilo habitáculo em inútil desmatamento.
Depois de um incêndio florestal, guardas florestais começaram a sua caminhada até uma montanha para avaliar os danos do inferno e um guarda encontrou um pássaro literalmente petrificado em cinzas, empoleirado de asas abertas, no chão na base de uma árvore. Um pouco enojado com a visão misteriosa, ele derrubou o pássaro com uma vara. Quando ele bateu nela delicadamente, três filhotes minúsculos correram sob as asas de sua mãe morta. A mãe amorosa, em plena consciência do desastre iminente, tinha levado seus filhos para a base da árvore e reuniu-os debaixo das asas, instintivamente sabendo que a fumaça tóxica subiria. Ela poderia ter voado para a segurança, mas se recusou a abandonar seus bebês. Em seguida, o incêndio chegou e o calor tinha queimado seu corpo pequeno, a mãe havia permanecido firme … a mãe preferiu sacrificar tua vida para salvar seus filhotes.
“Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas você encontrará refúgio”.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui