O amor e a fidelidade de Deus

“Eu te darei graças, ó Senhor, entre os povos; cantarei louvores entre as nações, porque o teu amor leal se eleva muito acima dos céus; a tua fidelidade alcança as nuvens!” (Salmos 108.3-4)

A adoração sempre traz consigo a gratidão. Por isso o salmista adora e dá graças. E sua gratidão torna-se também parte de sua adoração. Ele deseja dar graças comunicando a outros povos, o que talvez signifique povos que servem a outros deuses. Ele quer que ele tenham conhecimento do que o seu Deus fez. A fé ensinada por Jesus combina com a atitude do salmista. Nela, somos chamados a crer no cuidado de Deus. A compreender que nossas conquistas, mesmo o pão de cada dia, pedem a participação do Pai Celeste. Toda fé estabelece um padrão de vida característico. A fé cristã, dentre outras coisas, estimula-nos a um estilo de vida em que a gratidão a Deus deve estar presente. Que outros conheçam a gratidão que você tem a Deus!

O salmista diz que a razão do seu louvor é o amor leal de Deus que se eleva acima dos céus. Sua compreensão do mundo físico, do universo, era bem diferente da que temos hoje. Era bem mais rudimentar e simples. O universo do salmista era proporcionalmente bem menor que o que hoje sabemos ser ou que possivelmente seja. Mas pode (e deve) ser mantida a imagem: o amor de Deus não pode ser contido nos limites do universo. Ele é incomensurável. Em seu amor leal Deus preserva, perdoa, concede benção e cuida. Quando sofremos, algumas vezes sentimos como se o tamanho de nossa dor ou perda fosse maior que o amor de Deus. Perdemos Seu amor de vista e nos sentimos não amados, nos ressentimos. Duvidamos do amor de Deus. Devemos lutar contra esse sentimento. Devemos resistir a essas vozes e manter a confiança no amor de Deus. Ainda que a vida seja dura conosco, Deus nos ama! Essa é uma verdadeira guerra espiritual.

Um termo muito usado atualmente é “Deus é fiel”. O salmista concorda com ele e diz que a fidelidade de Deus alcança as nuvens. Novamente devemos ter em mente que, por sua cosmologia, ele está dizendo que a fidelidade de Deus não pode ser medida, não tem medida. Dizer que Deus é fiel, significa dizer que Ele é leal, não trai, não engana. Suas palavras são sempre verdadeiras e firmes. Ele não volta atrás. Em nossa limitação, esperamos de Deus o que Ele não disse que faria, e então nos decepcionamos. O salmista com sua declaração nos convida a pensar diferente. A fidelidade de Deus não pode ser medida. Já a nossa compreensão da vida e capacidade de lidar com ela é naturalmente aquém do que gostaríamos que fosse. Por isso, sempre dê graças a Deus. Seu amor e Sua fidelidade são sem medida! Escolha crer assim e, diariamente, pratique a adoração que reconhece e celebra o amor de Deus.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui