O amém nosso de cada dia

“Porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’.” (Mateus 6.13b)

A oração do Pai Nosso é uma oração instrutiva e edificadora para nossa fé. Precavidos e preocupados em não torná-la uma mera repetição nós, evangélicos, nos afastamos dela. É  bem incomum uma igreja evangélica proferi-la comunitariamente num momento de culto. Mas, qual seria o problema? E creio que haveria ganhos. Os que se reunem conosco em nossa igreja sabem que eventualmente fazermos isso. Creio no valor disso! Cada parte dessa oração tem tanto a nos ensinar! No modo como Mateus a registrou ela termina declarando a soberania e grandeza de Deus. Ele é o Pai nosso que está nos céus. Na expressão aramaica usada por Jesus, “aba”, Ele é o Papai nosso que está nos céus. O Papai do Céu, como costumamos dizer às crianças. E é exatamente essa a ideia do aramaico “aba”. Ao Papai do Céu pertencem o Reino, o poder e a glória para sempre! Amém.

Dizer “amém” é concordar com isso e com todo o restante da oração. Amém é a palavra código que encerra orações. Mas, o que ela significa? O amém que fecha uma oração deve significar para nós pelo menos duas coisas: esperança e compromisso. A esperança diz respeito ao que cremos que Deus fará – Amém, assim seja! Que o Senhor nos dê o pão diário, que o Senhor nos guarde de cair e do maligno, que o Senhor nos perdoe. Mas há o compromisso: Amém, assim seja! Que o nome do Senhor seja santificado, que a vontade do Senhor seja feita, que eu perdoe meus ofensores, que eu reconheça que tudo é teu, o Reino, o poder e a glória para sempre! A verdade é que a oração nossa de cada dia tem seu valor no valor que damos ao amém nosso de cada dia. Não penso que seja honesta uma oração em que o amém signifique apenas esperança, e não compromisso.

A oração do Pai Nosso e qualquer outra que fizermos será desafiadora, se levamos o amém a sério. O amém une fé e vida, expectativa e responsabilidade. É no exercício da fé em Deus e do compromisso com Deus que amadureceremos. E amadurecer é perceber o fundamental, o inegociável, e deixar de definir-se pelo que é apenas circunstancial e superficial. Se amadurecermos o amor triunfará em nossa vida. A graça alegrará nossos dias. O fruto do espírito, e não nossos costumes e tradições, caracterizará nossa religiosidade. O Evangelho nos chama a ter uma religião cheia de vida e uma vida cheia de Deus. E a oração do Pai Nosso nos ajuda a não nos esquecermos disso. Ore mais essa oração. Deixe que ela oriente e melhore as suas orações. Tenha mais consciência ao dizer amém. Porque o amém nosso de cada dia, e não necessariamente o que dissermos antes dele, definirá o cristianismo que viveremos, cada dia.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui