Novos Odres

“E ninguém deita vinho novo em odres velhos; doutra sorte, o vinho novo rompe os odres e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; o vinho novo deve ser deitado em odres novos.” (Marcos 2.22)

Quando lemos as profecias sobre a vinda do Messias, elas nos informam que haveria muitas mudanças. Os filhos não mais receberiam a culpa dos pais, os corações de pedra seriam mudados para corações de carne e todos poderiam conhecer, pessoalmente, ao Senhor. Vimos novidades já na pregação do João Batista: arrependimento e confissão de pecados. Jamais o ser humano compreendeu adequadamente as manifestações de Deus e Seus propósitos. Os judeus ficaram presos à sua história e não conseguiram reconhecer em Jesus o Messias. Ele era o tipo de messias que não cabia em seus esquemas religiosos e lógicas judaicas. Uma das obras de satanás na história é nos oferecer algo que nos pareça fé cristã, quando, na verdade, não é.

Nossas tradições religiosas e nossas lógicas espirituais envelhecem e perdem o valor. Elas são dependentes de circunstâncias, da época, do tempo… Somente a Palavra de Deus permanece para sempre (1 Pd 1.25). Os rumos tomados pelo judaísmo não comportavam o cristianismo. O vinho novo exigia odres novos. O vinho da fé cristã é sempre novo. As estruturas e formas religiosas são apenas odres, e envelhecem. Há uma renovação sempre necessária em nossa vida e nossa fé. E essa renovação só nos pode vir de Cristo, o dono do vinho! A novidade que o vinho sempre propõe não devem ser confundidos com tecnologias ou formas. A novidade é a capacidade de interpretar a vida e suas questões, dentro de cada circunstância, pelos critérios do Reino de Deus.

A grandeza de Deus e Seu amor, a satisfação e leveza de Sua presença, a segurança e a paz de se perceber aceito e cuidado por Ele são experiências que exigem novos odres em nossa vida. Nossa infantilidade espiritual nos atrapalha, impedindo que tenhamos discernimento para não confundir odre com vinho. Por isso nossa vida devocional, nossa prática cotidiana de orar e meditar nas Escrituras são tão importantes. Por isso devemos sempre pedir a Deus que nos guie e nos livre de enganos. Não devemos ser objeto nas mãos de homens que se julgam a voz de Deus aos demais homens. Ao contrário, devemos buscar a Deus de todo coração e não nos apoiar no entendimento próprio, reconhecendo-o em todos os nossos caminhos e Ele no proverá novos odres (Pv 3.5-6).

 

(*) Odres eram bolsas de couro usadas para transporte de líquidos.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui