Moradoras da Bahia recebem sementes ‘misteriosas’ e Adab intensifica o alerta

Foto: Reprodução

Moradoras de Salvador relataram terem recebido sementes ‘misteriosas’ que têm sido enviadas via Correios, sem que tivessem feito a encomenda do produto.

A doceira Natália Nascimento, que mora em Colinas de Periperi, no subúrbio da capital baiana, contou que recebeu as sementes, em maio, junto com flores artificiais que ela comprou pela internet. Segundo Natália, ela não solicitou as sementes.

“Eu fiz [a compra] por um aplicativo internacional de compras, só que eu não encomendei as sementes, só as flores. Eu imaginei que fosse um brinde, por isso nós plantamos, mas com cuidado de plantar separado e observando o que era. Para minha surpresa, teve o alerta da Adab e eu entrei logo em contato”, contou Natália.

Além de Natália, outros dois moradores da Bahia comunicaram à Adab sobre o recebimento das sementes misteriosas.

Uma delas também foi uma moradora de Salvador. “Eu também recebi na minha encomenda, dois pacotes com dois tipos de sementinhas. Eu abri a encomenda pensando que eram pedidos atrasados que eu tinha feito e vieram esses dois pacotes”, contou.

O caso

Na semana passada, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) emitiu um alerta sobre a situação.

Quatro denúncias de recebimento de sementes de origem indefinida foram registradas em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul. O Ministério da Agricultura acompanha as investigações. A preocupação é que essas sementes contaminem as lavouras com pragas.

De acordo com a Adab, as embalagens surgem com selos da China, porém o governo chinês nega qualquer envio, e ainda não é possível confirmar a procedência dos envelopes.

Foto: Reprodução

Orientação

A Adab destaca que a população fique alerta e não utilize as sementes, caso elas cheguem pelos correios sem solicitação. A agência ressalta, ainda, que, em caso de recebimento desse produto, o morador não deve abrir a embalagem e nem jogar no lixo.

“Sempre há riscos porque as sementes, mudas, material propagativo de uma forma geral, eles são possíveis veiculadores de pragas. É imprescindível a gente fazer análise para ter noção do que é, ainda porque esse material não foi solicitado. Então a gente qual a intenção de quem remeteu para o Brasil esse tipo de material”, explicou Suely Brito, fiscal da Adab.

Caso o cidadão venha a receber em casa sementes provenientes do exterior, o Ministério orienta a entrega do material para uma das unidades do Mapa em seu estado ou órgão estadual de defesa. O pacote não deve ser aberto ou descartado no lixo, a fim de evitar o contato das sementes com solo e prejuízos para as áreas agrícolas e o meio ambiente.

As sementes devem ser encaminhadas imediatamente à Adab ou à superintendência do Ministério da Agricultura no estado, onde passarão por perícia. Para entrar em contato com a Adab, a população deve ligar para (71) 3194-2000.

A orientação também vale para o cidadão que recebeu e plantou as sementes. Neste caso, entre em contato com o Mapa ou o órgão estadual de defesa para agendar o recolhimento do material.

Com informações: G1

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui