Ministro da Defesa, Jungmann pode ter pago canal de vídeo erótico com dinheiro da Câmara

alt

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, teria pago, com dinheiro da Câmara, a contratação de um canal de TV a cabo com conteúdo erótico, para o seu gabinete funcional em Recife. O pacote contemplava 11 canais de cinema (Telecine e HBO) e um canal adulto (Sex Zone). Em nota à publicação, Jungmann se defendeu, afirmando que contratou o pacote porque era o único que disponibilizava sistema de gravação da TV Câmara e negou ter acessado o canal erótico. A operadora Sky, no entanto, informou que existiam outros pacotes na época, inclusive em preços mais em conta. Além disso, a própria Câmara disponibiliza, gratuitamente, os vídeos com atuações parlamentares. Basta o deputado solicitá-los à Casa. Ainda de acordo com Sky, o chamado “Combo DH Full 2015 + Cinema” durou 12 meses, entre abril do ano passado e março deste ano. Ao todo, a Câmara pagou R$ 3.100 pelo serviço. Também estavam inclusos no pacote assistência técnica 24 horas e a possibilidade de assistir à programação de filmes por meio de streaming, como no Netflix. No inicio do mês, foi divulgado o gasto de dinheiro público feito por outro ministro do presidente interino. Osmar Terra, da pasta de Desenvolvimento Social custeou despesas com pipoca e refrigerante em um cinema de Brasília, em 2015.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, teria pago, com dinheiro da Câmara, a contratação de um canal de TV a cabo com conteúdo erótico, para o seu gabinete funcional em Recife. O pacote contemplava 11 canais de cinema (Telecine e HBO) e um canal adulto (Sex Zone). Em nota à publicação, Jungmann se defendeu, afirmando que contratou o pacote porque era o único que disponibilizava sistema de gravação da TV Câmara e negou ter acessado o canal erótico. A operadora Sky, no entanto, informou que existiam outros pacotes na época, inclusive em preços mais em conta. Além disso, a própria Câmara disponibiliza, gratuitamente, os vídeos com atuações parlamentares. Basta o deputado solicitá-los à Casa. Ainda de acordo com Sky, o chamado “Combo DH Full 2015 + Cinema” durou 12 meses, entre abril do ano passado e março deste ano. Ao todo, a Câmara pagou R$ 3.100 pelo serviço. Também estavam inclusos no pacote assistência técnica 24 horas e a possibilidade de assistir à programação de filmes por meio de streaming, como no Netflix. No inicio do mês, foi divulgado o gasto de dinheiro público feito por outro ministro do presidente interino. Osmar Terra, da pasta de Desenvolvimento Social custeou despesas com pipoca e refrigerante em um cinema de Brasília, em 2015.

 

Fonte: Jornal Destak

Foto: Agência Brasil

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui