Ministério da Saúde já enviou vacinas para atender 100% dos trabalhadores da educação

Ministério da Saúde já enviou vacinas para atender 100% dos trabalhadores da educação. Foto: Myke Sena

O Ministério da Saúde tem trabalhado para garantir o retorno seguro às aulas presenciais. A pasta já enviou vacinas para imunizar, com pelo menos a primeira dose, 100% dos trabalhadores da educação do ensino básico e ensino superior dos estados e Distrito Federal.

Até agora, mais de 3,2 milhões de profissionais da educação básica já foram vacinados com a primeira dose e mais de 518 mil estão com esquema vacinal completo ou tomaram a vacina de dose única. Entre os profissionais da educação superior, mais de 340 mil já tomaram uma dose e mais de 30 mil estão imunizados com as duas doses ou dose única. Os dados estão na plataforma LocalizaSUS.

Dentro deste grupo de profissionais da educação, estão professores, diretores e todos os funcionários que trabalham para o funcionamento das escolas. Este público já era considerado prioritário desde o começo da campanha, pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (PNO), mas o Ministério da Saúde antecipou o envio de doses.

“Estamos nos organizando para ter um retorno seguro às atividades escolares. Os nossos alunos estão há muito tempo fora das salas de aula. O Brasil é um dos últimos países que ainda não tem o retorno das aulas, isso tem nos preocupado. ”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Volta às aulas com segurança

No começo de julho, o ministro Marcelo Queiroga participou de um seminário que reuniu o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) para discutir os protocolos para o retorno e debater a situação de milhões de crianças e adolescentes sem aulas.

Além do encontro com os organismos internacionais, Queiroga também discutiu o assunto com o ministro da Educação, Milton Ribeiro. Os protocolos de segurança para o retorno das escolas, em conjunto com o MEC, estão em elaboração.

Assim como as entidades globais voltadas para a defesa da infância, educação e cultura, o Governo Federal considera essencial o retorno às salas de aulas, pois o afastamento afeta não apenas o desenvolvimento escolar, mas a alimentação, nutrição e psicológico de crianças e adolescentes.

Pátria vacinada

Com o avanço da campanha de vacinação contra covid-19, 60% da população acima de 18 anos tomou a primeira dose e 23% as duas ou a vacina de dose única, a vida já começa a voltar ao normal com segurança. Isso também vale para milhões de crianças e adolescentes que precisaram se afastar das salas de aula por conta da pandemia e enfrentam os prejuízos de tanto tempo sem a escola presencial.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui