Marcelino Galo defende políticas públicas para convivência e preservação no semiárido

Deputado Marcelino Galo
Na manhã desta terça-feira (5), em mais uma reunião da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado estadual Marcelino Galo (PT) fez intervenção para apontar a degradação de grandes áreas em biomas existentes na Bahia.

“A degradação da caatinga, por exemplo, é causada pela produção de carvão e lenha, prática existente no estado e que acarreta problemas sérios para o ecossistema. Não conheço nenhuma área degradada por causa de plantações de alimentos para consumo da sociedade, o que se tem é o empobrecimento do solo e, consequentemente, um processo cada vez mais rápido de desertificação por causa desta produção de carvão e lenha”, salienta Marcelino Galo

O parlamentar ainda citou um programa da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), chamado de “Mata Branca”, que em síntese trataria de criar atividades para o convívio em áreas degradadas, utilizando a tecnologia para diminuir o impacto ambiental causado pelo desmatamento. “Essa ação é fundamental para comprovar que temos condições de utilizar a tecnologia para beneficiar o meio ambiente, com ações de reordenamento do solo e que permitam ao agricultor reabitar essas áreas”, completa.

Frente Parlamentar

Sobre a criação da frente parlamentar em defesa da agricultura familiar, reforma agrária, assistência técnica e extensão rural pública, Marcelino lembrou da importância de que seja uma frente pluripartidária, que trabalhe no sentido de dar melhor condição de vida à população. “Essa frente deverá ter capacidade de incidir sobre o governo, ajudando e formulando políticas para a população, produzindo, assim, conhecimento para colocar o nosso estado numa melhor posição”, enfatiza.

Fonte: Vitor Alves de Fernandes/Ascom do deputado Marcelino Galo

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui