Maiores cidades do interior da Bahia têm alta na ocupação de leitos e beiram o colapso

Maiores cidades do interior da Bahia têm alta na ocupação de leitos e beiram o colapso. Foto: Paula Fróes

Assim como Salvador, hospitais do interior da Bahia estão com altos índices de ocupação e a beira do colapso nesta quinta-feira (18). Os números refletem o agravamento da pandemia da Covid-19 no estado, que nos últimos dias têm registrado alta nos registros de novos diagnósticos, casos ativos da infecção, taxa de transmissão e óbitos diários.

Em Feira de Santana, segunda maior cidade do estado, as UTIs estão 87% preenchidas. No Hospital Geral Clériston Andrade 100% dos leitos clínicos e de Tratamento Intensivo estão ocupados.

A situação também é grave em Vitória da Conquista, no Sudoeste Baiano, onde a taxa de ocupação dos leitos de Tratamento Intensivo está em 97%. A cidade tem apenas duas vagas de UTI no Hospital das Clínicas. O Hospital Geral e o São Vicente já atingiram capacidade máxima. Em relação aos leitos clínicos, a terceira maior cidade da Bahia tem  índice de 53%.

No Litoral Sul, Itabuna chegou a 85% de UTIs utilizadas e só tem mais quatro vagas. O Hospital Calixto Midlej Filho já atingiu 100% de leitos clínicos e UTI ocupados. A situação no Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães é de 83% de ocupação na enfermaria e 80% no Tratamento Intensivo.

Cidade vizinha, Ilhéus registra nesta quinta 94% de UTIs e 61% de vagas na enfermaria ocupadas. O Hospital Vida Memorial atingiu 100% da capacidade em relação ao Tratamento Intensivo, o Hospital de Ilhéus 91% e o Regional Costa do Cacau 93%.

Jequié, no território de identidade do Médio Rio de Contas, não tem mais vagas de UTI. A cidade tem dois hospitais, o Prado Valadares e o São Vicente, e as duas unidades estão com 100% de UTIs utilizadas. O município só tem disponíveis seis leitos clínicos.

Fonte: Bahia Notícias

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui