LIVRES, ATÉ PARA DESISTIR

“Daquela hora em diante, muitos dos seus discípulos voltaram atrás e deixaram de segui-lo. Jesus perguntou aos Doze: Vocês também não querem ir?” (João 6.66-67)

A liberdade é algo inegociável no Reino de Deus. Ele nos fez livres e somente aprendendo a ser livres viveremos em Seu Reino. Por isso Jesus, diante dos discípulos que o abandonaram, em lugar de pressionar os demais ou ameaçar, abriu-lhe a porta facilitando também a eles a desistência do discipulado. “Se vocês quiserem ir, estão livres. Não há nada que os prenda aqui. Podem ir.” Uma atitude própria de quem ama. O mundo que criamos não funciona bem com liberdade porque também é carente de amor. Mas na vida com Cristo seremos provocados e desafiados a sermos livres e vivermos como pessoas livres. Precisaremos escolher e tomar decisões. Precisaremos exercitar nossa vontade, como pessoas livres.

Se não nos sentimos livres para nos recusar a fazer a vontade de Deus, se nossa obediência for fruto de medo, do receio de não sermos abençoados ou de sermos castigados, significa que permanecemos no jardim de infância da escola de espiritualidade de Jesus. E Ele não vai deixar de nos fazer avançar. O Espírito Santo não age em nossas vidas para nos manter cativos, infantis. Ele é nosso Ajudador para que cresçamos, aprendendo a ser livres. Para que sejamos cada vez mais maduros. Ele não é como nós, que nos satisfazemos com aparências. Que amadurecemos frutas por processos artificiais. Que garantimos a beleza de uma manga enquanto destruímos suas chances de ser saborosa. Ele nos ama o bastante para nos conduzir à vida plena.

O Reino de Deus é o Reino do Amor, porque Deus é amor (1 Jo 4.8). O amor lança fora o medo (1 Jo 4.18). João escreveu isso e completou dizendo que o medo pressupõe castigo. E o medo é um sinal de que ainda não formos aperfeiçoados no amor. É preciso que sejamos. Seguir a Jesus não pode ser uma resposta ao medo de castigo ou medo do inferno. Mas uma resposta à beleza do amor de Deus. Não tenha medo de Deus. Encante-se com o Seu amor. Não se sacrifique como forma de alcançar bençãos. Mas por amor a Deus e às pessoas. Não negue a si mesmo com medo das vozes que ameaçam castigar você. Diga não a si mesmo como resposta ao amor de Deus. Aprenda a confiar nesse amor. Ele é a razão bastante e certa para tudo. E se não for por amor, nenhuma outra razão servirá.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui