Laudo do DPT confirma: Arueira foi executado deitado no chão

Fotos: Jotta Mendes/Sulbahianews
O Departamento de Polícia Técnica concluiu na manhã desta quarta-feira, 29 de setembro, o laudo conclusivo, que comprova a execução de Gilberto Arueira, morto no início da tarde de sexta-feira, 24 de setembro, no interior da loja Celular e Cia., sendo executado por policiais militares da Companhia de Operações Especiais da Mata Atlântica (Caema).

O laudo da polícia técnica, que foi presidido pelo perito criminal coordenador do DPT Manuel Gomes Garrido, levou apenas cinco dias para ser concluído, e foi entregue ainda na manhã do dia 29 de setembro, ao delegado circunscricional de Teixeira de Freitas Dr. Charlton Fraga Bortolini, que preside o inquérito em conjunto com o delegado coordenador Dr. Marcos Vinicius.

O laudo da perícia criminal de numero 2010 08 PC 0283 conclui que oito lesões, foram encontradas no corpo de Gilberto Arueira, ambas provocadas por arma de fogo, sendo que houve seis entradas e duas saídas, todas nas costas de Arueira, que no momento em que recebeu os disparos, segundo o laudo criminal estava deitado ao chão.

Posição em que Gilberto Arueira foi encontrado
O disparo que atingiu a mão de Joabe Medina Lima teria sido contra Arueira, no entanto, o tiro resvalou no piso da loja, e atingiu a mão de Joabe, que foi ferido de raspão.

O laudo também comprova que no momento da execução Arueira estava em decúbito ventral, (debruço) e não em decúbito dorsal como foi encontrado pela Polícia Técnica, o que comprova que a cenário do crime foi alterado, o DPT também encontrou no local da ação violenta, 22 reais em espécie, um cordão de metal amarelo, e um relógio de pulso.

Além do laudo de perícia criminal, também foi entregue aos delegados que presidem o inquérito, o laudo de perícia médica de número 2010 08 PM 1309, que também será peça do inquérito, que apura a morte de Gilberto Arueira.

O departamento de Polícia Técnica, sob coordenação de Manuel Gomes Garrido, já encaminhou ao Laboratório Central da Polícia Técnica em Salvador, os exames de pólvora combusta da vítima, juntamente com as armas dos policiais, para que sejam realizados os exames de chumbo cobre, e de microprensão balística, respectivamente, a polícia também coletou sangue no chão do piso da loja, e também no passeio para exames de DNA, que também serão realizados em Salvador.

Fonte: Sulbahianews

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui