IPI: Desconto que terminaria ontem diminuirá aos poucos até julho

Modelos populares, com motor 1.0, passaram a recolher 2% de imposto

O desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros, que terminaria na segunda-feira, vai diminuir aos poucos até a alíquota normal ser retomada, em julho. Desde ontem, modelos populares, com motor 1.0, que estavam com alíquota zerada, passaram a recolher 2% de imposto. Em abril (até junho), o imposto subirá para 3,5%.

A previsão do governo é que a alíquota cheia de 7% seja restabelecida em julho. Carros com motores de 1.0 a 2.0 (flex), que até dia 31 estavam com alíquota de 5,5%, agora terão imposto de 7% até março. O percentual será reajustado para 9% em abril e pode voltar a 11% em julho.

No dia 19 de dezembro, quando o governo federal anunciou que o desconto seria retirado gradualmente, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvini Belini, afirmou que haveria “impacto nos preços a partir de janeiro”.

Em 2012, o governo decidiu dar desconto no IPI em maio, devido à alta nos estoques de carros nos pátios das montadoras e nas lojas. Como resultado, o mês de agosto passado foi o melhor para vendas de veículos em todos os tempos. O desconto no IPI para máquinas de lavar permanecerá até fevereiro. Está mantida a alíquota de 10%, ante os 20% incidentes regularmente.

O desconto para móveis também só muda mês que vem. Este mês, móveis e painéis terão IPI zero, passando para 2,5% entre fevereiro e junho. A previsão é que em julho retornem à alíquota cheia de 5%. A renúncia fiscal estimada para 2013 com o desconto do IPI é de R$ 2,063 bilhões no caso dos veículos, R$ 550 milhões na linha branca (máquinas de lavar e tanquinho) e R$ 650 milhões nos móveis.

 

Fonte: Correio

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui