Ilhéus: Vereador consegue a garantia do repasse dos recursos para a Apae

O vereador Lukas Paiva denunciou na Câmara Municipal de Ilhéus a demora da Prefeitura em repassar os recursos do Governo Federal para que a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) possa realizar o trabalho com pessoas com deficiência intelectual e múltipla. De acordo com o parlamentar, há mais de quatro meses que a Prefeitura de Ilhéus não vinha fazendo esse repasse, no valor mensal de R$ 8.902,70, recursos que são destinados para o pagamento de 26 funcionários que atuam na Apae, além dos encargos com o FGTS, INSS, energia, vale-transporte e ainda a alimentação dos alunos, já que a merenda escolar também não chegou nesta unidade esse ano.

Para resolver o impasse e garantir o funcionamento da unidade, Lukas Paiva sugeriu à presidente da Apae, Socorro Pastor, que fizesse um apelo no plenário da Câmara de Vereadores, como forma de sensibilizar os parlamentares e o governo municipal para que o problema fosse resolvido. Socorro Pastor informou que a Apae de Ilhéus funciona graças ao apoio da comunidade, através do serviço de telemarketing, e a um convênio com o Governo Federal que destina a verba para a entidade através do Fundo Municipal de Assistência Social. O problema é que os recursos até então não haviam sido repassados esse ano, o que acabou gerando sérias dificuldades para a Apae, correndo inclusive o risco do fechamento da unidade.

A situação da Apae acabou sensibilizando os vereadores, que decidiram se reunir imediatamente com o prefeito Jabes Ribeiro, na tarde desta quarta-feira (15) para cobrar o repasse dos recursos para a entidade. No encontro com o prefeito ficou decidido que o município de Ilhéus repassaria, já nos próximos dias, os recursos destinados para a entidade que estavam retidos na Prefeitura. Esse dinheiro, segundo adiantou a presidente Socorro Pastor, será destinado para quitar as muitas pendências da Apae somadas nesses quatro meses em que a verba não foi liberada. O vereador Lukas Paiva quer agora que esses recursos sejam repassados regularmente, já que se trata de uma verba federal destinada à Apae, por isso não se justifica que esse dinheiro fique preso nos cofres da Prefeitura, deixando a entidade passar por dificuldades.

Socorro Pastor explicou que a Apae de Ilhéus atende atualmente a cerca de 178 alunos, onde são desenvolvidos diversos projetos. Nessa unidade atuam 26 funcionários “que realizam um trabalho de dedicação e amor a essas pessoas com deficiência intelectual e múltipla”, disse ela. O atraso no pagamento dos salários desses profissionais acaba gerando uma série de transtornos aos trabalhadores da Apae, mexendo com o emocional desses servidores, que precisam estar bem para o com desempenho das atividades. Socorro Pastor disse ainda que o atraso no repasse dos recursos deixou a Apae de Ilhéus em situação desesperadora e a entidade somente não fechou graças ao empenho e o compromisso da equipe que apesar das dificuldades financeiras decidiram permanecer realizando o atendimento aos alunos.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui