IASA resgata crianças do trabalho infantil

Crianças participam de atividades lúdicas e educativas. Foto: Cláudia Schembri
*Pedro Ivo Rodrigues

O Instituto Amigos de Santo André (IASA) foi fundado em meados de 2006, com o propósito de prestar contribuição ao povoado e região adjacente de Santo André, vilarejo pertencente ao município de Santa Cruz Cabrália. O instituto defende o fortalecimento da cultura local e também melhorias nas estruturas básicas de educação, saúde, higiene e capacitação profissional, com ênfase na preservação do meio ambiente.

O IASA integra o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Cabrália (CMDCAC); opera uma rádio web, desenvolve oficinas de arte-educação na pré-escola Maria Marta e aulas de capoeira às crianças e adolescentes.

Em 2008, a entidade criou o projeto Ambiente Musical, que atende 145 alunos, de quatro a 18 anos, da rede pública de ensino. Nesse contexto, a população carente tem acesso a instrumentos e educadores para aulas gratuitas de música e lutheria (fabricação artesanal de instrumentos musicais). A musicista Simone Passos, responsável pelas oficinas de flauta, coral e banda rítmica, coordena o projeto, que tem os educadores Jonatas Silva à frente do curso de violão e Marcelo Bottini como luthier.

Alunos aprendem a confeccionar instrumentos musicais, com materiais a exemplo de cabaças. Foto: Cláudia Schembri
De acordo com Marcelo Bottini, o projeto resgata crianças do trabalho infantil, com apoio do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) do Governo Federal. “O nosso foco é a música, mas atendemos, em sua maioria, crianças do povoado de Santo Antonio, que é próximo da nossa sede, com o fito de entretê-las com atividades educativas e afastá-las de influências negativas da sociedade, bem como evitar que laborem antes da idade permitida. Aqui, elas aprendem a confeccionar flautas, timbais e violoncelos com materiais como tubos de PVC e cabaças”, informou Bottini.

O instituto conta com um acervo bibliográfico com mais de 500 volumes, com clássicos da literatura, livros infanto-juvenis e um computador conectado à internet.

O projeto é apoiado financeiramente, por proprietários de casas de veraneio, e por participação voluntária de moradores como a alemã Wally Busch, professora de música que ministra aulas de reforço de flauta para os alunos com dificuldades na assimilação do conteúdo.

O IASA recebe incentivos da Fundação AID, Banco do Nordeste (em parceria com o BNDES e Governo Federal) e tem convênio de parceria técnica com o Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia).

Maiores informações pelo site www.iasa.org.br; email: [email protected] ou telefone (73) 3671-4048.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Iasa

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui