Guaratinga pode perder principal bem do seu Patrimônio

Pinturas com características do Barroco, que datam de meados do século passado, feitas pelo frei napolitano Angélico Barbatto, com tintas especiais vindas da Itália, e o piso de ladrilhos também vindos daquele país, podem deixar de ornamentar a nave da igreja matriz de Guaratinga.

O alerta é do professor Ronildo Cruz, graduado em Letras e Artes pela Universidade Estadual da Bahia (UNEB). De acordo com o professor, a “Festa da Amizade”, promoção beneficente organizada pela Paróquia, no sábado passado (17), teve por objetivo, arrecadar fundos para a realização de obras na Igreja pretendidas pelo padre José Carlos, mas que vão, justamente, destruir esse que é o principal bem do patrimônio histórico e cultural do município.

O professor afirma que a obra, que ainda não foi bem explicada para a comunidade, será iniciada com a trocar de todo o piso da igreja, e numa segunda etapa as paredes serão pintadas, de forma a encobrir toda a pintura original.

O professor articula uma mobilização na cidade, visando impedir a realização dessa obra. Aliás, a sua preocupação tem sido no sentido de se recuperar toda a pintura e o piso da igreja, que já estão bastante danificados pela ação humana e do tempo.

Logo na entrada do templo, uma parede lateral foi quebrada para a construção de uma sacristia. Na parte superior de todas as paredes, as pinturas foram danificadas para a fixação de holofotes e lâmpadas fluorescentes, que substituem a iluminação original – que ficava no teto. No altar, foi destruído um nicho que guardava a imagem da santa padroeira, Nossa Senhora da Conceição. Essas são algumas das intervenções feitas, que já destruiu boa parte da pintura. “Agora, parece que querem mesmo acabar com o que resta desses painéis antigos e valiosos”, protesta o professor.

Ao tomar conhecimento do alerta, a reportagem procurou o diretor do Departamento de Cultura do Município, Estevão Silva. Segundo ele, não é do seu conhecimento a intenção de se realizar a obra. “Esse é um bem do patrimônio histórico e cultural de Guaratinga, e não pode ser destruído. Inclusive, já procuramos o Departamento Jurídico da prefeitura, para nos orientar sobre como iniciar o processo de tombamento da igreja para o patrimônio histórico e cultural do município”, relatou Estevão.

Outra ação nesse sentido foi feita pelo professor Ronildo, que, há alguns meses, levou ao conhecimento do diretor do Campus da Uneb de Eunápolis, a existência desse importante bem do patrimônio de Guaratinga. Segundo o professor, o diretor da Uneb/Eunápolis, Pedro Daniel, já fez contato com a diretoria da instituição de ensino, e solicitou um projeto de recuperação de toda a igreja.

Tendo a companhia do professor e do diretor de Cultura, a reportagem esteve na residência do padre José Carlos para saber da veracidade ou não das informações, porém não conseguimos falar com o pároco.

 

Fonte: Teoney Guerra

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui