Graça: salvos para servir 1

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos.” (Efésios 2.8-10)

Pela Graça somos salvos. E depois de salvos a vida segue neste mundo em que ainda o pecado é tão presente e tanto nos afeta. Mesmo salvos seguiremos enfrentando lutas, enfermidades e tantas coisas que não desejamos enfrentar. Uma vez alcançados pela Graça, não seria melhor sermos levados? Não. Por tantas razões que seria impossível citar todas. Não somos levados porque a salvação tem a ver também com a vida aqui. Somos salmos para viver e não para morrer. Somos salvos para também aprender a existir na terra e não apenas para um dia ir para o céu. A salvação pela Graça em Cristo nos faz participante de uma comunidade. Somos unidos a outras pessoas. Para aprendermos a amar, servir e sermos aperfeiçoados, amadurecermos. Todos temos um chamado para sermos benção, a exemplo do chamado de Abraão: “por meio de você todos os povos da terra serão abençoados” (Gn 12.3). Somos chamados para que nossa vida seja uma dádiva para outras. Temos uma missão.

Cada pessoa alcançada pela Graça tem sim um chamado. Ele é especial e cheio de vida. Temos uma missão e ela envolve falar, e sobretudo, agir. Nossa missão nos chama a ser realizadores de boas obras. Não seria possível praticarmos boas obras para sermos salvos por meio delas. A ilusão de tentar essa possibilidade revela que nem mesmo entendemos o significado de estarmos perdidos. Todavia, uma vez salvos, as boas obras entram no script. Em Cristo somos e vamos sendo recriados e tornados cada vez mais apropriados para realizarmos boas obras. Para vivermos na vida as ideias que Deus sempre teve a nosso respeito. Para lidarmos com a vida, uns com os outros e com o mundo criado de uma forma nova. E nessa experiência temos a oportunidade de honrar o Criador e desfrutar significado existencial. Somos inspirados para dar sentido às coisas, ao poder, ao dinheiro e a tudo mais, colocando tudo em ordem para que boas obras tomem lugar na história e transformem realidades.

Todavia, devemos ter cuidado. Há dois desafios a serem superados. O primeiro tem a ver com nossas motivações. Ser uma benção, manifestar a Graça que nos salvou realizando boas obras deve acontecer como fruto de amor e gratidão. Não por interesse ou medo. Não para sermos abençoados ou para não sermos castigados. As boas obras tem boas motivações, boas razões. E não há melhores que amor e gratidão. Outro desafio é entendermos tem a ver com fazer coisas para as pessoas em obediência a Deus, e não em fazer coisas para Deus. Ele não precisa, de nada tem falta. Em nossa religiosidade podemos cometer facilmente o equivoco de ficar cantando para Deus em nossos cultos e ao mesmo tempo permanecer ignorando pessoas. Precisamos entender que é servindo e amando pessoas que serviremos e amaremos Deus. O centro da espiritualidade de Jesus foi fazer coisas para pessoas em obediência a Deus. Que também seja assim conosco. Que superemos esses desafios, que vivamos pela Graça. Que a Graça prevaleça!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui