Fonte Nova sai de cena para habilitar a Bahia à Copa 2014

Milhares de pessoas saíram de suas casas e se posicionaram nas ruas ao redor do Dique do Tororó para assistir à demolição da Fonte Nova. Câmeras na mão, torcedores do Bahia e do Vitória queriam registrar o fim de 61 anos de história e onde foram abrigadas as principais conquistas do esporte baiano. Com atraso de quase meia hora devido ainda à desocupação de locais considerados de risco de acidentes, o anel superior do estádio foi implodido por 700 quilos de explosivos às 10h27. No seu lugar, será construída a Arena Fonte Nova, que habilitará a Bahia para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014.

 

A comerciária, Ângela Souza, saiu do bairro da Boca da Mata, para ver a demolição. “Durante muitos anos eu passei por aqui e vi o estádio. Vai ser difícil não tê-lo na paisagem por isso vim aqui me despedir”, disse ela. Já o engenheiro elétrico, Rodrigo Marques, trouxe os três filhos: Guto, Rafael e Guilherme para dar adeus à Fonte Nova, sendo que os dois últimos, sequer, tiveram oportunidade de acompanhar um jogo no estádio. “Aqui vi muitas ppaprtidas na minha juventude. Trouxe meus filhos para se despedirem já que eles não poderão mais assistir jogos na velha fonte”, lamentou. A implosão durou exatos 12 segundos.

 

A Tribuna de Honra será implodida apenas na terça-feira. A demolição do anel inferior e a perfuração dos pilares começou há dois meses e a previsão é que o novo estádio comece a ser construído em dezembro. Todo o concreto que foi utilizado na demolição será reaproveitado, parte dele, inclusive, na construção da nova obra, que vai gerar 1,5 mil empregos diretos, número que aumentará para 2,5 mil quando o empreendimento estiver em operação.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui