Ex-presidiária se recusa a voltar para o tráfico e é executada em Teixeira

A Polícia Militar foi acionada por populares no início da noite desta quarta-feira, 15 de maio, informando de um homicídio na rua Santa Lúzia, no bairro Irmã Dulce, na cidade de Teixeira de Freitas. Duas guarnições foram deslocadas para o local e constataram a veracidade das informações, sendo o crime informado ao delegado plantonista Charlton Bortolini, que se deslocou juntamente com uma equipe de peritos do DPT para o local.

A vítima foi identificada como Maria Elza Gonçalves de Sá, de 39 anos, que já havia cumprido pena no Conjunto Penal por tráfico de drogas e, segundo informações, vinha sendo ameaçada de morte, por não querer mais participar da venda de drogas naquela região. A filha da vítima estava com ela no momento em que chegaram os dois suspeitos em uma motocicleta, modelo Honda/Tintan FAN, de cor vermelha, de placa não anotada.

Os criminosos pararam a motocicleta próximo às duas, que estavam na porta da casa delas, e perguntaram: “Tem pedra de crack aí para vender”?. Neste momento a Maria Elza respondeu: “Não mexo mais com isso”. Foi quando os suspeitos sacaram, cada um de uma arma, mandaram que a filha da vítima, que preferiu não ser identificada, se afastasse, e atiraram por várias vezes contra a Elza, que foi atingida por quatro tiros na região da cabeça, e um próximo ao quadril, vindo à óbito no local.

Os peritos encontraram um cartucho intacto caído ao chão, e outras três cápsulas do mesmo calibre, sendo .32, no local. O corpo da vitima foi removido ao IML, onde passará por necropsia nesta quinta-feira (16), sendo liberado posteriormente aos familiares.

Um inquérito policial foi aberto para apurar a motivação do crime, e a possível identificação dos autores. O procedimento será encaminhado para os delegados do NHT, Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, para que possa, dar continuidade às investigações.

Fonte: Liberdadenews

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui