Ex-PM que ameaça queimar carretas em gravação é preso em Conquista

O mandado de prisão foi da 2ª Vara da Justiça, em Salvador

Foi preso nesta quarta-feira (15) em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, o ex-policial militar David Salomão, que aparece em gravações com o líder da greve da categoria na Bahia, Marco Prisco, falando em queimar carretas na Rio-Bahia. As gravações foram feitas com autorização da Justiça e exibidas em primeira mão no Jornal Nacional.

O mandado de prisão foi da 2ª Vara da Justiça, em Salvador. Salomão foi preso pela Polícia Federal. Ele ficará preso no presídio de Conquista até ser transferido para Salvador.

Salomão é advogado e presidente da Centro de Assistência dos Policiais Militares e Associados (JUSPM) de Vitória da Conquista. Na gravação, Prisco é ouvido chamando os policiais de Conquista para irem a Salvador fortalecer o movimento. Salomão fala que vai queimar carretas ou viaturas na BR-116, mas esses atos de vandalismo não foram registrados durante a greve.

– Prisco: Alô, oi. Desce toda a tropa pra cá meu amigo. Caesg e você. Desce todo mundo para Salvador, meu irmão… Tou lhe pedindo pelo Amor de Deus, desce todo mundo para cá…

– David Salomão: Agora?

– Prisco: Agora, agora. Embarque…

– David Salomão: Eu vou queimar viatura… Eu vou queimar duas carretas agora na Rio/Bahia que não vai dar tempo…

– Prisco: fecha a BR aí meu irmão. Fecha a BR.

PMs que participaram da greve são presos

Já chega a 25 o número de PMs presos por participação da greve parcial da categoria, encerrada no último sábado (11). Entre eles está o cabo Jeoás Nascimento, que é presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM/RN e se apresentou à polícia do Rio Grande do Norte na manhã de terça-feira (14).

Ontem, seis PMs foram presos em Itabuna, no sul da Bahia, e seis foram presos em Paulo Afonso, no norte do estado. A informação de que outros dois foram presos em Vitória da Conquista, no sudoeste, não foi confirmada pelo capitão Luis Marcelo Rego Pita, da assessoria de comunicação da PM.

Na segunda-feira (13), nove PMs haviam sido presos acusados de motim (artigo 149 do Código Penal Militar) durante a paralisação. Seis soldados da Rondesp de Ilhéus estão presos na custódia provisória da PM em Lauro de Freitas acusados de terem usar arma de forma indevida durante a greve. Dois PMs que foram presos em Feira de Santana.

Os outros presos são Gilvan Souza, que é diretor da Associação de Praças da Polícia Militar (APPM) em Jequié, sargento Elias Alves de Santana, dirigente da Associação dos Profissionais de Polícia e Bombeiros (Aspol) e um dos líderes do movimento grevista da PM, soldado Jeane Batista de Souza e o PM Alvin dos Santos Silva.


Fonte: Correio

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui