ENSINAMENTOS PARA A VIDA

Cremos que o que oferecemos nessa vida é aquilo que passamos a merecer. O que damos é o que vamos receber. O amor doado é o amor que retornará a nós. E todo o ódio destilado é o ódio que volverá a nossa vida, mais cedo ou mais tarde. Quem atira pedras nos outros, tropeça nestas mesmas pedras no caminho de volta. Por isso, semeie na vida aquilo que você deseja colher no futuro. Só faça aquilo que você deseja para você. Não acredite que você pode viver nas brigas e confusões e depois conquistar a paz interior.

Felicidade não é aquilo que nós acumulamos, felicidade é aquilo que nós compartilhamos. De que adianta ter muitos brinquedos, se não temos com quem brincar? De que adianta ter as melhores cervejas, se não temos com quem beber? De que adianta jantar no restaurante mais caro, se comemos sozinhos? Feliz é aquele que compartilha o que tem com todos.

A dor tem uma função em nossa vida. Ela nos obriga a sair do lugar, a vencer o comodismo, a tomar uma atitude, a olhar para nós mesmos. Aquele que está muito confortável e satisfeito num lugar só vai sair dele se algo o incomoda, se a dor nas costas o obriga ao movimento de sair da cama.

Nada nessa vida é por acaso. Tudo que experimentamos tem um propósito. Não acredite em sorte ou azar. A existência humana é criada por causas e condições. Aquilo que acontece, tinha que acontecer. Aquilo que vem, era para vir… se uma pessoa vai embora, era para ela ir. Nada é fortuito e sem sentido. Todas as coisas obedecem a uma ordem superior que, em essência, é perfeição.

Ninguém perde nada nessa vida, pelo simples motivo de que ninguém pode possuir coisa alguma. Como diz a máxima: “toda sensação de perda vem de uma falsa sensação de posse”. Tudo o que acreditamos possuir é apenas um empréstimo de Deus, um instrumento que a inteligência da vida nos proporciona para ser utilizado da melhor forma possível, sempre em busca do desenvolvimento de nossa alma.

Tudo o que vem, um dia vai embora. Nada é permanente nessa vida. Se hoje eu ganho um carro, amanhã perderei esse carro; se hoje eu adquiro uma casa, amanhã perderei essa casa. É assim com as coisas e é assim com as pessoas. Todos que chegam em nossa vida, um dia vão embora. O mundo humano é assim. Tudo o que teve um início, um dia terá um fim… tudo um dia acaba e pode ser antes do que esperamos. Por isso, não acredite em nada que seja permanente, pois tudo vem e vai, tal como as ondas do mar que crescem, quebram na areia da praia e depois retornam ao infinito oceano.

O mal é tão necessário ao equilíbrio do universo quanto o bem, assim como a luz não existe sem a escuridão, ou como o alto não existe sem o baixo. O dia precisa da noite para o sol poder nascer no dia seguinte, revelando o espetáculo do alvorecer.

A existência universal é um eterno fluxo. Assim como o rio flui com perfeição em direção ao mar, assim também os seres humanos devem permitir que sua vida flua, sem desvios, sem buracos, sem comportas que detenham o incessante fluxo da vida. Aquele que pretende criar obstáculos ao perene fluxo das transformações observa suas barreiras serem destruídas pela irresistível força da eterna transitoriedade.

Procure sempre olhar para a vida como ela é e não como você gostaria que fosse. Aceite sempre as pessoas pelo que elas são, e não pelo ideal que você criou. Viva e deixe viver, tal como as coisas são, sem pretender forçar ou modificar coisa alguma. Observe a existência ao invés de criar idealizações. A verdade é o que é, assim como a vida não pode ser aquilo que esperamos que ela seja. Olhe as coisas sem querer que seja diferente; escute a natureza e a vida. Contemple a eterna benção e frescor do estar presente, a graça desse simples momento.

Muitas vezes precisamos passar pelo pior para poder chegar ao melhor. Precisamos mergulhar na escuridão para alcançar a luz. Precisamos chorar a madrugada inteira para viver e louvar a alegria calorosa do suave amanhecer. Precisamos atravessar a densa e fétida lama para chegar ao lago de águas puras e cristalinas. Aquele que chega ao fundo do poço, percebe que o único caminho possível é o da subida. Aquele que chega no ponto mais escuro do túnel sempre vislumbra a luz no final do túnel. O momento mais difícil de nossa vida é aquele em que tudo começa a melhorar. Precisamos viver intensamente o mal para entender a preciosidade do bem. Precisamos experimentar profundamente o sofrimento da prisão para sermos capazes de nos libertarmos dela. Precisamos, dessa forma, mergulhar na escuridão para alcançar a luz.

Na vida é necessário sempre seguir em frente. Ficar parado no meio do caminho, olhando para trás e remoendo coisas que já se foram, nada nos trará de positivo. Não importa o tamanho da decepção, não importa a dimensão do erro cometido; não importa o quanto sofremos. Siga em frente… Quando seguimos em frente, colocamos em movimento as energias da vida e tudo volta a fluir.

Quando a vida não acontece como desejamos ou como esperamos, ficamos atormentados com preocupações. Mas o que pode ser mais importante para o ser humano do que sua paz de espírito? É mais importante se preocupar com o relacionamento, com o dinheiro, com os filhos, com o patrimônio, com o emprego, com estar certo, com impor nossa vontade, com o sentimento de posse, preso aos sofrimentos… ou nossa paz vale infinitamente mais do que tudo isso? Não devemos trocar nossa paz por qualquer outra coisa. Nada nesse mundo vale as preocupações que tiram nossa paz interior. Não troque sua paz por coisa alguma… A paz é inestimável, não tem preço e nada pode substitui-la. De que vale a maior realização do mundo se com ela perdemos nossa paz? Nem o maior e mais belo diamante do mundo vale a nossa paz.

Todo fim é sempre um novo começo. Toda morte é sempre um novo nascimento. Sempre que uma coisa acaba, outra coisa começa. Quando acreditamos que algo está chegando ao seu fim, pensamos que vai acabar para sempre e nunca mais voltar, uma outra coisa se inicia. Geralmente estamos cegos ao surgimento do novo, pois estamos excessivamente presos ao que já passou. Toda perda sempre oferece a chance de um novo ganho… ganho este que nem sempre é como desejamos, mas está lá aparente ou esperando ser descoberto. Assim como o fim da noite traz um novo amanhecer e o fim de um ano faz nascer outro ano com novas possibilidades, assim a vida sempre se renova, se refaz, se recria num ritmo constante e inexorável. Aquilo que acreditamos ser o fim de nossa vida, nada mais é do que um novo começo, repleto de novas oportunidades e esperanças. Quando as pessoas pensam que sua vida acabou ou morreu, esse é o melhor momento para abrir novos caminhos e deixar sua vida renascer.

Todas as coisas na vida sempre caminham e concorrem para o bem. O bem maior da vida é o destino inexorável de todos os seres. Mas o que consideramos como bem, nem sempre é o bem real. Aquilo que taxamos como negativo numa época de nossa vida pode se transformar em algo positivo numa época seguinte. Como a demissão do emprego que depois nos traz uma oportunidade melhor, ou como a crítica que nos conduz a reflexão ou ainda como a perda do material que nos auxilia numa postura de maior desapego. O que é bom para alguns pode ser ruim para outros e vice-versa. Bem e mal são conceitos limitados e relativos que formulamos em nossa mente com base naquilo que é agradável ou desagradável. Mas a verdade que dói, mas nos liberta é muito mais importante do que a mentira que consola e que nos acomoda e cega.

Feliz é aquele que não precisa de nada para estar com a felicidade. Aquele que é feliz por causa dos filhos, por causa da esposa, por causa do emprego, por causa do dinheiro, por causa dos amigos, etc, esse não encontrou a felicidade real. Se você precisa de uma coisa apenas para ser feliz, então você não é feliz, pois caso perca essa coisa, também perde sua felicidade. Por isso, a felicidade só é genuína, verdadeira e permanente quando ela não tem razão de ser, quando nada a alimenta, quando nada que é externo pode aumentar ou diminuir nossa felicidade.

Não menospreze as coisas simples da vida. É na simplicidade onde reside a paz, a verdade e o amor. Uma vida simples é uma vida completa, repleta de bênçãos que estão em todos os lugares. Para uma pessoa comum, andar no meio da rua em direção ao trabalho pode ser algo estressante e cansativo. Mas para o doente acamado em estado terminal, ou para o cadeirante, o ato de andar é uma benção, uma dádiva celeste que faz jorrar em seu peito uma imensa alegria de viver. Por isso, viva de forma simples, sem sofisticações e complexidades. A complexidade é um peso desnecessário que insistimos em carregar. Feliz e em paz está aquele que consegue viver com as coisas simples… A simplicidade sempre nos traz leveza e liberdade.

O mundo é aquilo que você pensa que é ou será o que fazemos dele. Podemos plantar as sementes de um paraíso na Terra ou os infortúnios de um inferno, só depende de nós.

Antes de descobrir se existe vida após a morte, é necessário averiguar se existe vida antes da morte. Antes de descobrir se existe vida extraterrestre em outros planetas, é preciso verificar se existe mesmo vida aqui a Terra. O ser humano deseja desvendar os segredos do cosmos, mas nada faz para descobrir os segredos do seu cosmos interior. As pessoas estão ao mesmo tempo tão próximas e tão longe de si mesmas. Querem conhecer o mundo, mas fazem de tudo para não conhecer a si mesmas. O templo de Delphos na Grécia antiga dizia: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses”. Essa é a forma de conhecimento mais valiosa que existe.

Toda vez que você sonha com o que você não tem, você se torna infeliz com o que você tem. Quanto mais você pensa em ganhar algo novo, mais fica insatisfeito com o antigo. Cada vez que você almeja uma condição melhor na vida, você deixa de fazer o melhor com a condição em que você se encontra. Quanto mais você quer sair de um lugar para ser feliz, mais infeliz você se torna no lugar em que você está. Cada vez que você deseja que alguém mude e se torne diferente, menos você aceita aquela pessoa como ela é e menos você passa a ser feliz com ela. Toda vez que você se propõe a conquistar mais e mais, menos você valoriza aquilo que já conquistou. Todos aqueles que vivem buscando algo a mais na vida, sempre perdem a alegria de viver em sua realidade atual.

Todos os problemas em nossa vida estão relacionados com a forma como nós reagimos ao problema e não com o problema em si. Os seres humanos seriam muito mais felizes se pudessem compreender essa verdade. Não são as circunstâncias que nos afetam, mas a forma como nós reagimos a elas. O que faz a diferença é como você se posiciona, como você encara a situação. A adversidade em si mesma não tem nenhum poder: você é que dá poder, e por isso, ela passa a ter o poder que você conferiu. Uma pessoa que se deixa atingir, por exemplo, com uma ofensa, uma briga, uma perda, uma doença, não está se abalando pelo poder inerente a nenhuma destas coisas, mas sim pela sensibilidade que ela mesma possui a tudo isso. Não existe nenhum poder no mundo capaz de nos colocar para baixo se a pessoa simplesmente não aceita esse poder externo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui