Embrapa realiza eventos em apoio à cadeia produtiva da mandiocultura do extremo sul baiano  

Embrapa realiza eventos em apoio à cadeia produtiva da mandiocultura do extremo sul baiano. Fotos Ascom

Apelidada de “A Raiz Mágica”, a mandioca sempre esteve presente no extremo sul baiano e faz parte de nossa cultura. Incentivado pela implantação do PAT da Mandiocultura, atualmente seu plantio não é mais o mesmo. Reunindo agricultores familiares, produtores rurais, técnicos, comunidade científica e membros do comitê gestor territorial, o PAT da Mandiocultura e a Embrapa promoveram entre os dias 19 e 21, em Teixeira de Freitas, ações em apoio à cadeia produtiva da mandiocultura.

O evento tem como parceiros o Banco do Nordeste, a Polímata / Suzano e a SDR – Secretarias de Desenvolvimento Rural da Bahia e conta ainda com o apoio da Faculdade Pitágoras e da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Teixeira de Freitas.

O secretário de Agricultura do município, Dori Neves, esteve presente na abertura do segundo dia de evento e comentou. “A realização desse evento é fruto do trabalho feito pelo PAT na região, o que tem atraído parceiros e valorizado os nossos produtos. Como é gratificante receber em nossa cidade eventos como esse que tem porte nacional e que chega aqui, como reconhecimento do bom trabalho feito na região, sobretudo o produtor teixeirense que conta com integral apoio de nossa secretaria”.

“Tem sido muito bom receber a ajuda do PAT e da Prefeitura, com a introdução das novas técnicas, o que tem feito melhorar a produção de mandioca. Plantação que para mim é muito importante”, comentou Bruno Santos, produtor de mandioca na Comunidade do Café Glória.

Durante o evento foram realizados:

O seminário validação do zoneamento agrícola de risco climático para mandioca, ferramenta que orienta o financiamento da cadeia produtiva da mandioca, como explica Jeilly Viviane Ribeiro, uma das promotoras do evento e representante da Polímata. “Dentro do calendário que o zoneamento apresenta, os bancos podem financiar e fora dele não. Desde 2016, no início da implantação do PAT mandiocultura na região, temos discutido a necessidade de atualização do zoneamento da mandiocultura segundo a nossa nova realidade. E finalmente conseguimos essa atualização, uma conquista enorme para a cultura que, a partir de agora, pode ampliar e muito o número de mesas de plantio que podem ser custeados pelo financiamento bancário, profissionalizando e ampliando as oportunidades da cadeia produtiva da mandioca”.

O seminário da Rede RENIVA, que veio reforçar os métodos de multiplicação e trato da mandioca junto aos produtores que, desde a implantação do PAT na região, presta assistência e tecnologia. “A mandioca é plantada da mesma forma que os índios faziam no passado e isso faz dela um produto de baixa produtividade e sem inovação, porém, a inserção do método de plantio por mudas a torna mais interessante, livre de doenças, resistente à seca e com boa qualidade genética”, comentou Jeilly Viviane.

O lançamento do RENIVA Tracking, primeiro curso realizado no Brasil. Segundo Hermínio Rocha, analista da Rede Reniva, Teixeira de Freitas foi escolhida para receber o curso do sistema informatizado, por ser “justamente a vitrine do programa RENIVA e ser o lugar onde mais temos maniveiros estabelecidos, onde a coisa andou com mais facilidade, onde todas as bases e preceitos estão sendo seguidas integralmente. O município de Teixeira de Freitas e a região está de parabéns.”

A Visita ao maniveiro guardião, onde ficam reservadas todas as variedades desenvolvidas e melhoradas pela Embrapa e que produzem cinco vezes mais que as espécies tradicionais de nossa região.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui