Em nota, HRDLEM afirma que não há atraso de três meses; último pagamento venceu em 20/5

Hospital Regional Luís Eduardo Magalhães. Foto: Reprodução

Por meio de nota enviada à nossa Redação no final da tarde de quinta-feira, 4 de junho, o Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães, situado em Porto Seguro, esclarece que “o único pagamento em aberto no momento, venceu no dia 20 de maio, o que significa que está há pouco mais de 10 dias em atraso”, e prossegue: “Em contato com a Sesab, o HRDLEM, administrado pelo IGH, já foi informado que a Secretaria de Saúde do Estado está providenciando o repasse para o devido pagamento”.

Conforme a nota, não haveria atraso de três meses: “Eles têm recebido salários atrasados há três meses, o que não significa que eles estejam sem receber”.

O texto ao qual a nota do HRDLEM sugere interpretação é uma nota de repúdio assinada em 02 de junho, na qual os médicos “vêm a público manifestar, pelo terceiro mês consecutivo, veemente repúdio pelo atraso salarial nesta instituição”.

Segundo a Sesab, em comunicado ao Sollo, “nos últimos 30 dias foram realizados pagamentos que superam os R$ 3,9 milhões referentes a unidade”. Sobre isso, o HRDLEM afirma: “Sobre o repasse de 3.9 mi mencionado no título, nada mais é que mais é que o valor regular mensal do contrato já firmado com o IGH, sem aportes adicionais,  que inclusive é objeto de estudo da Sesab, em atenção ao pleito do IGH para reajuste, no intuito de atender as novas demandas, a exemplo das ampliações necessárias para atender aos casos de covid, e dos custos agregados que vieram junto com o novo perfil (HRDLEM é o único hospital de referência ao enfrentamento covid na microrregião), sem deixar de ser única  referência também nas demais áreas como ortotraumatologia, neurocirurgia, infarto agudo do miocárdio, AVC, cirurgia geral etc.”

OSollo foi provocado por diversos leitores para fazer uma matéria sobre o atraso salarial, que seria recorrente, inclusive, com outras cartas divulgadas anteriormente, sendo este número de notas o motivo do possível equívoco de nossa Redação, que teria afirmado que os profissionais não recebiam há três meses.

No entanto, esclarecemos que, além do Governo do Estado, antes da publicação da matéria, contatou a Golden Assessoria de Comunicação, que consta na página oficial da IGH como responsável pelos contatos com a imprensa da empresa que administra o HRDLEM, no que foi respondido que um retorno seria dado quando tivessem o posicionamento da diretoria, o que não foi feito até o fechamento desta matéria. Mas, a Comunicação do HRDLEM, em contato conosco, solicitou o espaço ao contraditório e lhes foi dado.

Esclarecemos ainda nosso compromisso com a verdade dos fatos e nossa responsabilidade na coleta de informação, deixando sempre aberto o espaço para o contraditório, sem achismos ou interpretações – ficando ao nosso leitor, sujeito crítico, a construção do seu entendimento dos fatos.

 

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui