Em entrevista coletiva, o prefeito Robertinho expõe condições em que recebeu o município de Mucuri

Foto: Reprodução

Uma coletiva de imprensa agendada para às 10h desta quinta-feira (14/01), no plenário da Câmara Municipal de Mucuri, marcará um encontro do prefeito Roberto Carlos Figueiredo Costa, o “Robertinho” (DEM) com os vereadores e os profissionais de imprensa da região, quando o gestor fará uma exposição das condições em que foram encontradas as estruturas do município.

A comissão de transição nomeada pelo prefeito eleito Robertinho, ainda em dezembro, vinha reclamando que a gestão anterior estava dificultando a interlocução da equipe para obter as informações. Na posse o prefeito Robertinho já havia lamentado que assumia o governo municipal sem ter tido a possibilidade de estabelecer um processo de transição amigável e democrático, onde enfrentou muitas dificuldades para se conseguir os dados necessários.

Ao assumir o governo, a atual gestão herdou a Prefeitura com suas estruturas totalmente sucateadas. Dos prédios foram retirados programas, computadores, móveis, televisores e tudo que puderam, as salas foram entregues como se os locais tivessem sido alvos de um furacão. Conforme o prefeito Robertinho, o município foi deixado em estado de ingovernabilidade nos mais diversos prédios públicos locados com aparências péssimas e, para reestruturar a Prefeitura Municipal vai ser preciso muito trabalho, dedicação exclusiva e investimentos concentrados nestes próximos 6 meses.

Inclusive, parte dos vencimentos dos servidores municipais nos meses de novembro, dezembro e 13º salário que a gestão anterior não pagou, também não deixou previsão de orçamento e desapareceu com a lista da folha dos pagamentos. Atualmente a nova gestão enfrenta dificuldades para organizar a partir do zero as pendências dos funcionários, havendo a possibilidade de recorrer à justiça na intenção de conquistar uma decisão favorável que possa permitir ao atual governo municipal promover o devido pagamento dos salários destes servidores públicos.

Segundo o novo secretário Municipal de Saúde, o farmacêutico bioquímico Fernando Jardim, as ambulâncias do município estão com 90% da frota sucateada, os demais veículos que prestavam serviço a saúde pública eram locados e desapareceram no dia 31 de dezembro, as estruturas das unidades de saúde ficaram um verdadeiro caos e só agora o município está tendo condições de iniciar o restabelecimento da saúde como a marcação de exames e os traslados dos pacientes por meio de transporte alternativo.

Fonte: Teixeira Hoje

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui