Educação inclusiva promove reflexão sobre a pessoa Autista

alt

A Prefeitura/Secretaria de Educação, por meio do Núcleo de Formação Profissional e o Núcleo de Educação Inclusiva, promoveu nesta sexta, 08 de abril, encontro com profissionais da educação para refletir sobre a inclusão de alunos com autismo nas escolas públicas municipais.

Tendo como tema “Autismo: nem especial, nem anjo. Me chame pelo nome”, o encontro foi conduzido pela coordenadora do Grupo Autismo Teixeira de Freitas, Aressa Faben Gonçalves, defensora dos direitos da pessoa com autismo e mãe de pessoa com autismo.

alt

Numa definição da Revista Nova Escola, de 2015, “O autismo é uma síndrome que afeta o desenvolvimento em três importantes áreas: comunicação, socialização e comportamento. Dentro das Desordens do Espectro Autista (DEA), a síndrome pode se manifestar de forma leve a severa e, normalmente, as alterações comportamentais já podem ser notadas nos primeiros anos de vida.”

Estiveram presentes neste encontro coordenadores pedagógicos, diretores escolares, professores que têm alunos com autismo, auxiliares de ensino, especialistas do Centro de Educação Inclusiva, professoras de AEE, profissionais da Escola Especial Pestalozzi e educadores de algumas cidades circunvizinhas.

Educação pública inclusiva

De acordo com Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva, desde 2013 o atendimento de alunos diagnosticados com o Transtorno do Espectro Autista tem crescido, partindo de 4 por ano, para 35 em 2016. Estima-se ainda que este número possa ser maior. O diagnóstico depende de análises clínicas.

Os pais devem procurar a rede pública de saúde a fim de obter diagnóstico e tratamento adequado, otimizando a abordagem pedagógica deste estudante no seio escolar.

 Por ASCOM

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui