Cuidado com os escorpiões na Bahia

Foto Divulgação

Altas temperaturas nesta época do ano e falta de manutenção ambiental aumentam as chances de proliferação do animal e riscos à saúde da população

O calor do verão, chuvas passageiras e lixo, essa combinação cria um ambiente ideal para o aparecimento de escorpiões. Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), somente em 2018 ocorreram 24.714 casos de acidentes por animais peçonhentos na Bahia. No mesmo período, o Centro de Informações Antiveneno (Ciave), registrou o atendimento de 2.425 casos de escorpionismo.

Na cidade de Eunápolis, nos últimos anos, centenas de casos também foram registrados. Em 2018 foram registrados 230 acidentes com picadas de escorpião, chegando bem próximo do que foi contabilizado em 2017, quando ocorreram 200 registros.

Até o momento, 19 ocorrências de ataque do animal foram registradas na cidade de Eunápolis em 2019. Um ponto agravante é que já nessa primeira quinzena de janeiro, o Ciave registrou 127 casos no estado, 10% a mais que o mesmo período em 2018, com uma média de 9 ocorrências por dia. Segundo a superintendente de Vigilância Epidemiológica em Eunápolis, Kelly Rebouças, para evitar o aparecimento de escorpiões e consequentemente de ataques às pessoas, não somente o município tem que agir, mas também a população em geral, “é preciso criar uma rotina de ações relativas à limpeza dos ambientes próximos às residências, principalmente quintais, terrenos ou onde possa acumular lixo. Isso diminui o número de baratas e outros insetos que são alimentos para o escorpião”, destacou.

Ainda segundo a superintendente, além de manter o ambiente sempre limpo, ralos de banheiros, pias e tanques precisam estar tampados. Dentro das casas, a atenção deve ser nas saídas de esgoto e caixas de gordura. “O escorpião gosta de lugares quentes e pode passar dias escondido próximo às residências, em entulhos, restos de obras, debaixo de pedras, mato e pneus. Por isso, todo cuidado é pouco”, alertou Kelly Rebouças.

Aumento no número de casos

Os escorpiões costumam aparecer mais na região entre os meses de setembro e fevereiro, que é quando ocorre o período de reprodução da espécie. Consequentemente, aumentam também as quantidades de ataques. “Nesse período quente e úmido os escorpiões saem para se reproduzir e também fugir das queimadas que ocorrem com mais facilidade por conta do calor“, disse o médico veterinário e coordenador do Centro de Controle de Zoonoses do município (CCZ), Dr. Everton Rusciolleli.

O escorpião oferece perigo mortal

Segundo Rusciolleli, quando um escorpião pica uma pessoa, ele injeta uma substância neurotóxica, que atua no sistema nervoso provocando muita dor, principalmente no local da ferida, e que vai se espalhando por todo o corpo, podendo evoluir para um quadro mais grave em até duas horas após o indivíduo ser picado. “Pelos graves efeitos do veneno, é muito importante que a pessoa receba cuidados médicos imediatamente, em especial as crianças que podem ter o quadro de saúde mais agravado e até morrer”, enfatizou o coordenador do CCZ.

Encontrei um escorpião, e aí?

Quando uma pessoa encontra um escorpião, a primeira coisa a fazer é manter uma distância segura do animal e evitar contato direto. Após estar em segurança, ela deve entrar em contato com o CCZ pelo telefone 3281-3690 em horário comercial. O atendente irá orientar corretamente quais devem ser os procedimentos seguintes, e caso necessário, uma equipe irá até o local. “Mas se a pessoa foi picada por um escorpião, cobra ou qualquer outro animal venenoso, ela deve procurar imediatamente uma unidade de saúde ou o hospital municipal da cidade para receber o tratamento adequado, quanto mais cedo ela for atendida, menores os riscos”, alertou o Dr. Everton Rusciolleli.

Dicas importantes:

  • Não acumular entulhos, folhas secas e material de construção
  • Manter os terrenos limpos
  • Manter a grama aparada
  • Sacudir sapatos, roupas e lençóis de cama antes do uso
  • Não colocar as mãos em buracos, tocas ou troncos ocos
  • Vedar soleiras das portas e janelas ao anoitecer
  • Usar telas em ralos, pias e tanques
  • Selar frestas e buracos nas paredes
  • Mantes fossas vedadas
  • Acondicionar lixo em sacos vedados, evitando a proliferação de insetos que são alimentos do escorpião
  • Denuncie terrenos baldios e locais que possam ser focos de escorpiões pelo telefone 3281 – 3690

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui