CPI constata: a cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil

alt

Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil, enquanto a taxa de homicídios de negros entre 15 e 29 anos é quatro vezes maior que a de brancos. No país, a cada ano, cerca de 23,1 mil jovens negros são mortos. Os dados são do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado sobre Assassinato de Jovens, divulgado nesta quarta-feira. A CPI foi presidida pela senadora baiana Lídice da Mata (PSB) e teve como relator o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Segundo a parlamentar, o relatório traz três frentes de combate ao problema: transparência de dados sobre segurança pública e violência, fim dos autos de resistência e a unificação das Polícias Militar e Civil e um Plano Nacional de Redução de Homicídios de Jovens. Na avaliação da senadora baiana, há um genocídio da juventude negra no Brasil e grande parte dos assassinatos acontece na periferia das cidades. Para Lindbergh, o Estado brasileiro precisa assumir que vem “sistematicamente dizimando sua população jovem, em sua maioria negra e de origem pobre”. Dados do Mapa da Violência 2015 apontam que, em 2012, Salvador foi a quarta capital brasileira com maior índice de mortes por armas de fogo, com 50 homicídios para cada 100 mil habitantes. Destes, a maioria é negra, do sexo masculino e morador da periferia. Lauro de Freitas e Simões Filho também figuram entre as cidades mais violentas do país.

Fonte: Bahia Notícias

Foto: Agência Senado

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui