Coordenadora de Vigilância epidemiológica de Porto Seguro esclarece dúvidas sobre os recentes casos de H3N2

Vacina contra influenza — Foto: Ministério da Saúde/Divulgação

A cidade de Porto Seguro foi abalada com a morte da turista paulista Giovanna Marson, 17 anos, que estava a passeio na cidade com amigos de escola e faleceu, vítima da gripe Influenza H3N2, no último domingo (14).

Além de Giovanna, a prima e uma amiga, também infectadas, continuam internadas, mas, segundo boletim médico, estão se recuperando e fora de risco.

A tragédia com a morte da estudante gerou uma onda de boatos que diziam que a cidade poderia passar por um surto da doença. Com isso, população e pais dos milhares de alunos que estão na cidade ou que estão com viagem marcada para os próximos dias, ficaram apreensivos e temerosos.

A ação rápida da Secretaria de Saúde do município e das equipes de controle epidemiológico Municipal e Estadual, que passaram a acompanhar o caso das duas infectadas e das pessoas que tiveram contato com elas, foi primordial para contenção do vírus.

A coordenadora da Vigilância epidemiológica municipal em Porto Seguro, Larissa Altoé, explicou como procedem diante de casos suspeitos: “Diante da identificação dos casos, a Vigilância notifica, monitora e acompanha a evolução. Não fazemos bloqueio vacinal para os casos de Influenza, a gente faz quimioprofilaxia, o que é isso, é a medicação que a gente inicia para os contatos próximos, com gotículas, com secreções, pra que essas pessoas venham a não desenvolver doenças. Quem tem sintomatologia, que é contato, ela já trata a doença, independente da condição, lógico que a gente tem alguns sintomas que são avaliados, o que que a gente pede é que todas essas pessoas que tiveram contato procurem a unidade de saúde mais próxima de sua casa. As pessoas que estavam no voo dela, elas foram direcionadas para casa e foi orientado a empresa, que orientasse aos pais que qualquer sinal ou sintoma gripal fosse procurar a unidade de referência”.

Ela conta que o Governo do Estado tem dado apoio por meio do coordenador estadual de imunização e a referência técnica de doenças exantemáticas, “eles vieram aqui pra nos dar apoio e fazer o monitoramento do trabalho da vigilância. Todas as ações da vigilância até agora foram realizadas e acompanhadas por eles. Eles estão nos orientando desde o primeiro dia, o primeiro momento, e acompanhando todas as informações”, esclareceu.

Larissa esclarece que há apenas os três casos já registrados, outras três pessoas estão fazendo quimioprofilaxia, procedimento padrão recomendado porque tiveram contato próximo com as meninas infectadas, mas todas as três pessoas estão bem, no estado de saúde geral.

A coordenadora ressalta que com toda certeza o episódio se configura como caso isolado: “Monitoramos todas as unidade de saúde do município e, num primeiro momento, a população assustada, correu para os postos em busca da vacina. Neste momento, monitoramos para ver se alguém apresentava algum sintoma da doença, o que não ocorreu. Todos os monitores da Forma Turismo foram imunizados. Enviamos a lista de todos os turistas que vieram para a cidade no mesmo voo que as jovens e relatamos o caso à Secretaria de Saúde do estado de São Paulo, já que a adolescente teria vindo infectada do destino. Vale lembrar, que nunca havia sido registrado no município um caso de contaminação pelo vírus Influenza, em nenhuma das suas derivações”.

Porto Seguro não tem nenhum caso registrado, a não ser as duas jovens que estão em recuperação. “Somos uma cidade que recebemos turistas do mundo todo e estamos sim sujeitos a este tipo de situação. O que pedimos é que turistas e, principalmente os pais destes jovens que vêm muito nesta época para a cidade, para que coloquem em dia seu cartão de vacinação, não deixem de participar das campanhas do governo federal e que, estando aqui, a qualquer sinal de doença, procure uma unidade de saúde”, alerta Larissa.

A região do Vale do Paraíba, onde fica a cidade de Jacareí, de onde vieram Giovanna, a prima e a amiga, já registrou nove mortes por gripe Influenza esse ano, segundo a secretaria de saúde do estado de São Paulo.

Informações: Na mídia news

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui