Conquista: Dona de casa vive com cateter há 10 meses no corpo e sofre com dores

Tubo foi inserido para desobstruir um canal urinário por conta de cálculo.

Ele deveria ser retirado semanas depois, mas já dura meses.

Uma dona de casa que mora em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, já está há 10 meses com um cateter no corpo. O tubo fino inserido no organismo deve ser retirado algumas semanas depois.

Tamires Ribeiro possui cálculo renal e, em julho do ano passado, um cateter foi inserido no corpo da dona de casa para desobstruir o canal urinário que estava fechado por uma pedra. O procedimento foi realizado no Hospital Edgard Santos, em Salvador, a cerca de 500 km de Vitória da Conquista.

De acordo o médico urologista Alisson Botelho, um cateter pode ficar no corpo de uma pessoa por duas ou quatro semanas. Após o prazo, diversos problemas podem surgir no paciente. “Em média, em torno de duas a quatro semanas na maioria dos casos. Ficando mais do que quatro semanas, aumenta o risco de infecção, porque é um corpo estranho dentro do organismo e pode aumentar o risco de calcificar”, explica.

A cirurgia para retirar o cateter já foi marcada cinco vezes. Desse total, por quatro vezes Tamires Ribeiro chegou a ir para a capital baiana. Ela foi internada, mas o procedimento não foi realizado porque um aparelho estava quebrado, segundo informou hospital.

A paciente procurou a Secretaria de Municipal de Saúde, mas foi informada que a cirurgia que ela precisa não é realizada na cidade onde mora. Por conta disso, ela resolveu procurar uma clínica particular especializada e o médico informou que a cirurgia dela é de urgência, já que o cateter está calcificado no organismo.

“Foi até tentado tirar esse cateter, mas não conseguiu porque calcificou e ele pediu pra mim (sic) retornar ao hospital que foi colocado esse cateter com urgência para retirada, que ia ter que ser uma cirurgia mais complicada”, explica.

Ela precisa tomar diariamente diversos remédios para aliviar as dores, parou de trabalhar e não pode fazer esforço. “Eu pensei que ia resolver a situação, mas fez foi piorar, né? Porque depois desse implante, desse cateter, eu estou sentindo muitas dores, e estou urinando sangue”, conta.

 

 

 

Fonte: G1, com informações da Tv Sudoeste

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui