Conquista: Aulas da rede estadual só retornam em 5 das 30 escolas

Falta de aula ocorre devido à paralisação de funcionários terceirizados.

Empregados estão com salários e direitos trabalhistas atrasados.

Apenas cinco das 30 escolas estaduais do município de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, tiveram aula normal nesta segunda-feira, 14, primeiro dia letivo após o recesso escolar. O motivo é a paralização dos funcionários terceirizados da limpeza, portaria, recepção e administração, que estão sem receber salários.

Os funcionários sem trabalhar são das empresas Flex e Contrate, sediadas em Salvador. Os empregados da Flex estão há três meses sem salário, enquanto os da Contrate estão há dois. Eles também alegam que estão sem vale transporte, vale alimentação e com férias atrasadas.

De acordo com o sindicato que representa a categoria, os funcionários só retomarão as atividades depois que todo o débito for quitado.

Procurada pela reportagem, a empresa Contrate revelou ter efetuado nesta segunda-feira todos os pagamentos atrasados. Já a Flex não informou sobre a situação dos atrasos.

As cinco escolas funcionam normalmente na cidade possuem funcionários terceirizados de outras empresas. Já na rede municial, o retorno às aulas ocorreu normalmente.

Em todo o estado

Após recesso de 30 dias, 980 mil alunos da rede estadual e mais de 143 mil da rede municipal de ensino retomaram as atividades escolares na Bahia.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação da capital baiana, em função da Copa do Mundo, o calendário escolar foi readequado, antecipando início do ano letivo, para que o recesso fosse maior e os 200 dias letivos previstos em lei fossem mantidos.

As aulas na rede municipal de ensino, que tem 427 escolas e cerca de sete mil professores, foram iniciadas no dia 27 de janeiro e o término do ano letivo está previsto para o dia 23 de dezembro, ainda de acordo com o órgão municipal.

Na rede estadual, cerca de 230 colégios retomaram as aulas nesta segunda-feira, e o calendário escolar também será mantido como previsto em lei, com 200 dias letivos.

De acordo com o Governo do Estado, para o segundo semestre, os estabelecimentos de ensino montaram estratégias com atividades extracurriculares e conteúdos digitais, que estão disponibilizados no Portal da Educação, para proporcionar o aprendizado por meio de diferentes ferramentas e preparar os alunos para os testes.

 

 

 

Fonte: G1

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui