Coletiva: Fornecimento de oxigênio e dados sobre óbitos são esclarecidos pelo secretário de Saúde de Teixeira de Freitas

A coletiva de imprensa ocorreu no Gabinete da Prefeitura. Fotos: Elizeu Portugal/OSollo

Atuamos com planejamento e controle.” – A afirmação é do secretário municipal de Saúde, Max Almeida, que concedeu detalhes sobre o fornecimento de gases medicinais do setor médico-hospitalar de Teixeira de Freitas. A coletiva de imprensa ocorreu no Gabinete da Prefeitura na tarde desta quinta-feira (06).

Além da postura tomada pela pasta diante da operação do Ministério Público Estadual (MPE) que investiga a empresa Assis & Rodrigues Ltda., suspeita de adulterar o oxigênio fornecido também às cidades de Alcobaça, Vereda, Ibirapuã, Caravelas, o secretário apresentou ainda dados sobre óbitos, suas causas e números por estabelecimento de saúde.

O secretário municipal de Saúde, Max Almeida

Quando fui chamado na Promotoria, nunca pestanejei em cumprir as instruções e sempre buscar atuar na legalidade. Logo que houve a formalização, nós de imediato a cumprimos. Rapidamente, nós suspendemos o contrato com a empresa e fizemos a substituição com uma nova empresa fazendo uma contratação emergencial e foi chamada uma empresa de renome nacional [White Martins, que atende 9 países da América do Sul] para assumir sem que houvesse nenhuma intranquilidade”, disse o secretário aos jornalistas.

A empresa suspeita mantinha contrato com Teixeira de Freitas desde 2013. Somente a Agamix Revenda de Gases e Equipamentos Ltda. também havia prestado a mesma modalidade de serviço até então. A recomendação do MPE para a suspensão do contrato foi registrada no dia 30 de agosto, sendo imediatamente acatada no dia 31 e cumprida no dia 03 de setembro.

Já a partir do dia 05, a nova empresa já distribuía novos cilindros para a rede hospitalar – uma demanda de 44 balas de oxigênio por dia.

As mortes

O secretário ainda esclareceu como deveriam ser observados os dados de mortalidade, especificando o local e a causa dentro do recorte temporal 2013/agosto 2018. Os números do Hospital Mun. de Teixeira de Freitas mantiveram pouca variação de um ano para o outro, com uma observação: considerando média de óbitos, o ano de 2018 pode fechar com menor número dentro do período.

A apresentação indica que 2018 pode fechar o ano com o menor número de mortes no HMTF dentro do período

Os dados demonstram que não houve aumento de óbito de forma desordenada. Se houve óbitos por conta do gás, a investigação irá dizer. Mas o que nós, como Secretaria de Saúde, podemos dizer é que atuamos com planejamento e controle de óbitos e que nós iremos colaborar com toda a investigação”, afirmou durante a coletiva.

Ainda em sua fala, a atuação do prefeito Temóteo Brito foi ainda destacada por aspectos, como a seriedade e a responsabilidade diante das crises, usados pela gestão como pilares na busca pela qualidade. “Queremos agradecer a mobilização de cada um neste momento”, encerrou.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui