Circuncidados

“Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne.” (Colossenses 2.11)

Precisamos crer e viver à luz do que Cristo fez por nós. Ele realizou algo que nos redefine como pessoas. Paulo usa o referencial da circuncisão para falar sobre isso. Ser judeu se definia pela circuncisão (e ainda se define). Os não judeus eram chamados de incircuncisos. A circuncisão era tão valorizada pelos judeus que a igreja primitiva viveu diversos problemas por causa da compreensão de muitos de que apenas a fé em Cristo não era o bastante. Criam e defendiam que seria necessário também a circuncisão como sinal de obediência e pertencimento ao povo de Deus. Paulo fez firme oposição e essas ideias. E em sua carta a igreja de Colossos fala que Cristo realizou uma circuncisão nos que creem, “feita não por mãos humanas”, diz o apóstolo. A circuncisão feita por Cristo é o “despojar do corpo da carne”.

Em Cristo temos o rompimento de nossa escravidão sob o jugo do pecado. Sem Cristo, devido às marcas que o pecado produziu em nós, seriamos totalmente incapazes de lidar com as tentações e resistir. Mas por causa do que Cristo fez, temos uma chance: se nos firmarmos nele, poderemos dizer “não” e evitar pecados. Mas nem sempre fazemos isso. Muitas vezes cedemos, aceitamos o jogo do pecado, seduzidos pelo prazer que ele nos oferece. O pecado nos afeta de tal forma que desenvolvemos prazer naquilo que nos faz mal, que nos diminui, que rouba nossa dignidade. Porque todo pecado rouba nossa dignidade, por menos que pareça. Precisamos escolher e experimentar o novo caminho feito por Cristo para nossa vida. Um caminho que nos tira desse círculo vicioso que sempre acaba no mesmo lugar: vazio, culpa e arrependimento.

A obra redentora de Cristo nos faz livres, mas precisamos crer nisso e crer se concretiza por nossa obediência. Diante da sedução do pecado, não se deixe levar pelo sentimento de que precisa daquilo que lhe fará mal. Creia que você pode resistir e resista. O quanto puder precaver-se evitando situações potencialmente perigosas, evite. Não teste seus limites. Os que testam normalmente fracassam. Você não precisa provar nada a ninguém e nem a si mesmo! Diante de quedas, levante-se e reafirme-se como um filho e filha de Deus. E leve mais a sério o modo como o mal opera e procura causar danos. Como afirmou Jesus: “O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.” (Jo 10.10). Sejamos filhos da obra de Cristo e não vítimas dos ataques de Satanás.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui