Caminhos da maturidade

“Tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim, ponham-no em prática. E o Deus da paz estará com vocês.” (Filipenses 4.9)

Ontem refletimos sobre o que ocupa nossas mentes. Fomos desafiados a exercitar a disciplina de melhorar nossos pensamentos. O verso seguinte é uma orientação para irmos um pouco mais adiante. Falando ainda sobre o que é nosso papel fazer no trabalho de vivermos como cristãos, Paulo fala sobre seguirmos bons exemplos. No caso, ele se oferece como exemplo aos cristãos filipenses e pede que eles se deixem orientar. Ele os havia ensinado, falado dos valores e princípios do Reino de Deus e demonstrado em sua própria vida o que havia ensinado. Os filipenses deveriam ser mais que ouvintes ou observadores. Deveriam seguir seu exemplo.

Todo cristão deve assumir a vocação de seguir a Cristo, aprender com outros cristãos e oferecer-se como exemplo para os que desejam seguir a Cristo. Algumas vezes ouvimos ou dizemos: “não olhem para mim e nem para as pessoas dessa igreja; somos todos falhos. Olhe para Jesus.” Mas isso não é bíblico e nem mesmo possível na prática. Vamos sempre nos olhar, pois precisamos de bons exemplos. Nenhum de nós é completo ou perfeito, mas todos nós podemos ser exemplo em algo. Todos nós temos o que ensinar como cristãos, pois a graça de Cristo alcançou a todos nós. Será que Cristo não realizou coisa alguma em sua vida que seja digna de ser buscada por outra pessoa? Pare! A Mão de Deus está sobre sua vida e Sua boa obra já começou. Jamais esqueça disso.

Mas também não nos esqueçamos de que há “nãos” que Deus não nos imporá. Nós precisaremos dize-los a nós mesmos. Ele não vai impedir que eu me sinta tentado para tirar de sobre mim o desafio de resistir à tentação. Ele não anulará minhas emoções para me poupar do trabalhar de aprender a controlar meu espírito. O caminho cristão, com todo o amor, graça e misericórdia divina, é também um caminho de crescimento e amadurecimento. Ao que tudo indica, segundo as Escrituras, Deus não trata seus filhos de maneira a torna-los inconsequentes e mimados, mas homens e mulheres capazes para a vida, cientes de seus limites e do quanto dependem da graça. Bons exemplos: espelhe-se neles e seja um para alguém.

 

“A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o seu espírito”

(Filipenses 4.23)

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui