Câmara segue parecer do TCM e ex-prefeito João Bosco tem contas de 2016 reprovadas

O ex-prefeito municipal de Teixeira de Freitas, João Bosco

A Câmara Municipal de Teixeira de Freitas reprovou dia 5 de junho, as contas públicas do ex-prefeito, João Bosco Bittencourt (PT) do exercício financeiro de 2016.

A sessão funcionou com o pequeno e grande expediente, mas teve pauta única que foi a votação da contabilidade pública do ex-prefeito João Bosco, cujas contas foram encaminhadas para as comissões permanentes da Câmara Municipal desde o dia 19 de setembro de 2018, onde foram analisadas e submetidas a pareceres após o processo de alegação. E como as contas foram novamente reprovadas pelo TCM (Tribunal de Contas dos Municípios), o ex-gestor precisava novamente de 2/3 do parlamento, ou seja, o ex-prefeito precisava de 13 dos 19 vereadores para que a sua contabilidade pública fosse aprovada.

Quando colocada em votação pelo presidente Ronaldo Cordeiro, as contas públicas do exercício de 2016 de responsabilidade do ex-prefeito João Bosco, a maioria dos vereadores votaram por manter o parecer técnico do TCM, reprovando as contas do ex-gestor por 16 votos, 1 voto foi a favor das contas, um voto foi nulo e o vereador Marcílio Carlos Goulart (PT) que sugeriu que a sessão foi adiada pelo clima inapropriado com o manifesto dos professores, se retirou do plenário.

Histórico:

2013 – Em 30 de agosto de 2015, as contas públicas relativas ao exercício do ano de 2013 do então prefeito João Bosco que foram reprovadas pelo TCM e votadas pela composição do parlamento da época. Na ocasião o gestor que precisava de 13 votos acabou obtendo 16 votos a favor da sua contabilidade pública. O parlamento derrubou o parecer técnico do TCM e aprovou as contas do ex-prefeito João Bosco.

2015 – No dia 7 de dezembro de 2017, as contas públicas do exercício do ano de 2015 do ex-prefeito João Bosco chegaram à Câmara Municipal, também rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia e para que fossem aprovadas, o ex-gestor precisava de no mínimo 13 votos dos 19 vereadores do parlamento.  No dia 1º de agosto de 2018, na primeira sessão ordinária do segundo semestre do Poder Legislativo de Teixeira de Freitas, as contas foram votadas e reprovadas. Dos 18 vereadores presentes, o placar finalizou com 15 votos “Sim” a favor do parecer técnico do TCM que opinava pela rejeição das contas de 2015. Houve o registro de uma abstenção. E os vereadores Marcílio Goulart e Erlita Freitas, ambos do PT, não registraram seus votos.

2016 – Nesta quarta-feira, 5, as contas públicas relativas ao exercício financeiro do ano de 2016 do ex-prefeito João Bosco com o parecer prévio, de autoria do TCM/BA., que opinava pela rejeição, porque irregulares, foram novamente reprovadas pela maioria do parlamento municipal. Ou seja, na mesma situação, para derrubar o resultado, o ex-gestor precisaria novamente de 13 dos 19 vereadores do atual parlamento, mas só conseguiu 1 voto válido.

2014 – Já as contas públicas relativas ao exercício financeiro do ano de 2014 do ex-prefeito João Bosco, que permaneceu nos últimos quatro anos e meio no Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia, chegou nesta terça-feira , 4 de junho, ao Poder Legislativo de Teixeira de Freitas e na sessão de hoje (05), já foi lida em plenário e encaminhada para apreciação das comissões permanentes e a depender dos trabalhos das comissões, elas poderão ser votadas até dezembro de 2019.

Fonte :CMTF

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui