Câmara de Vereadores realiza audiência e discute a violência nas escolas

A audiência foi na noite de quinta-feira (12/4). Fotos Cézar Cruz

A violência sofrida por uma educadora da rede municipal de ensino no mês passado, quando uma aluna a agrediu verbal e fisicamente após ter solicitado que a adolescente descesse do “braço da carteira” para que o móvel não se quebrasse e ocasionasse uma queda despertou a sociedade teixeirense para a situação dos professores no Brasil e motivou uma audiência pública sobre Violência nas escolas, realizada na noite de quinta-feira (12/4), na Câmara Municipal de Teixeira de Freitas.

O evento foi provocado pela Comissão de Educação da Câmara

A audiência foi solicitada pela comissão de educação da Câmara e, através do vereador professor Valci Vieira, agendada com a finalidade de discutir alternativas para conter a violência e fazer uma radiografia para identificar os gatilhos que provocam a reação de indisciplina contra os educadores. Poucos professores compareceram à audiência.

O evento reuniu teixeirenses em torno de um interesse em comum

Os comandos da Polícia Militar e do Colégio Militar falaram sobre a operacionalidade da polícia e sobre os caminhos de disciplina desenvolvidos dentro da Escola Militar, que funcionam de forma eficiente, sem, no entanto, atrair a antipatia do alunado.

O Conselho Tutelar também contribuiu, exibindo exemplos de situações de violência corriqueiras presenciadas pelo conselho e das leis que são deficientes para amparar certas particularidades.

A Secretaria de Educação informou sobre um relatório que está sendo confeccionado a partir de coleta de informações junto aos profissionais de Educação visando rastrear os caminhos da violência e citou casos chocantes e brechas dentro do convívio familiar com ambiente inadequado para a criação de crianças sadias moralmente.

O Conselho Tutelar também cobrou uma atuação mais ativa do Poder Legislativo e foi aplaudido pelos presentes. Em defesa da Casa Legislativa, os vereadores, liderados pelo presidente Agnaldo da Saúde, se levantaram e enumeraram uma série de ações dos edis deste pleito em defesa dos professores, expondo também várias outras ações da Casa.

O juiz de direito dr. Roney Jorge Cunha e o juiz da Infância e Juventude dr. Argenildo Fernandes enfatizaram o caráter multicausal da violência dentro das escolas. Violência que começa, invariavelmente, fora das instituições de ensino de diversas maneiras, principalmente sob a forma de descaso por parte da sociedade e das autoridades.

Dentre os presentes estavam, além dos anteriormente citados, o coronel Magalhães, major Silvio Nunes; o presidente da Câmara Municipal, Agnaldo Teixeira Barbosa; o líder do governo na Câmara, Ronaldo Cordeiro, e os vereadores Adriano Souza, Arnaldo Souza Júnior, Wildemberg Soares Guerra, Marcílio Goulart e Darlan Martins Lopes.

Galeria!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui