Breve, mas preciosa

“De fato, mil anos para ti são como o dia de ontem que passou, como as horas da noite. Como uma correnteza, tu arrastas os homens; são breves como o sono; são como a relva que brota ao amanhecer; germina e brota pela manhã, mas, à tarde, murcha e seca.” (Salmos 90.4-7)

A vida por aqui é cheia de ilusões. Não temos realmente clareza de seu significado e brevidade. Especialmente quando somos jovens, achamos que temos ainda todo o tempo do mundo. E mesmo com o passar da juventude, ainda fazemos o que podemos para retardar os efeitos do tempo. Como vivemos sob uma grande valorização da estética, não vai aqui uma crítica e sim um alerta: enquanto lutamos para manter a jovialidade não nos esqueçamos de que o tempo passa e com ele nós também passamos.

Para alguns, pensar no fim é algo ruim e até mesmo doentio. Para Moisés era algo importante e ele inclui isso em seu salmo. Seu referencial é Deus. Enquanto Deus é eterno e domina o tempo, ele se vê e vê a todos os demais seres humanos como temporais e de curta duração. A consciência de que somos finitos pode nos ajudar a viver de forma mais simples e a resistir à arrogância que domina a tantos. Enquanto alguns se imaginam jequitibás, uma árvore nativa da Mata Atlântica e que pode chegar a 60 metros de altura e alcançar idade de mais de 3 mil anos, Moisés se vê como uma relva, que brota pela manhã e a tarde encontra seu fim. Há mais propensão à humildade numa relva do que num jequitibá.

Seguir a Cristo é não ter medo da brevidade da vida, mas aprender com ela. Ela é sempre breve, por mais que dure. Seguir a Cristo é aprender a servir-se dos próprios limites para crescer em humildade e serviço ao semelhante. É pensar no fim com mais frequência e com menos medo, e seguir vivendo de maneira mais responsável e amorosa. Queiramos ou não, gostemos ou não, somos muito breves por aqui. Mas, ainda assim, preciosos para Deus que nos amou e nos deu Jesus. Nesse nosso breve tempo, vivamos guiados pela fé em Cristo. Que nossa breve vida conte uma maravilhosa história. A história do amor de Deus, que de tanto amor entrou na história. E em sua breve jornada aqui, mudou eternamente o destino dos homens. Que por causa dele e por meio dele, façamos em nosso breve instante coisas de valor eterno.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui