Avião tinha falha no motor, afirma testemunha de acidente que matou deputado

Deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB). Foto UOLO agricultor Adilson Batista estava na residência do pai, na área rural de Paula Freitas, Sul do Paraná, quando testemunhou o acidente que matou o deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB) e outras duas pessoas, na manhã deste domingo (22). Segundo ele, o avião parecia ter falhas no motor. “Ele passou duas vezes em cima da casa do pai com o motor pifando e caiu aqui”, contou. Fragmentos da aeronave ficaram bem próximos da moradia que fica ao lado do lote de terras em que aconteceu o acidente.

O avião – um bimotor de pequeno porte – caiu no terreno de Jair Cubas, patrão de Batista, no meio de uma plantação de eucaliptos. A testemunha disse ter procurado primeiro em um terreno ao lado, mas depois viu o local exato em que estavam os destroços. A localidade fica na comunidade de Bela Vista, área rural do município. Em seguida, o agricultor comunicou a Polícia Militar sobre o acidente.

As causas da tragédia estão sendo investigadas, mas o relato indica que a aeronave perdeu altura e começou a descer sobre os eucaliptos. Após bater nas copas mais altas, foi se fragmentando e, de acordo com os relatos, houve uma explosão ao cair no chão. Segundo fontes que estavam a trabalho no local do acidente, ficou impossível identificar o prefixo ou modelo do avião apenas pelos destroços.

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros estavam fazendo guarda do local, durante a tarde e início da noite de domingo. O isolamento mantinha curiosos e profissionais de imprensa a certa distância, enquanto aguardavam autoridades do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) para realizarem a perícia e liberarem a área.

Corpo de Bombeiros e Polícia Militar isolam a área onde ocorreu o acidente.Sidnei Muran/Gazeta do Povo

Trajeto

O avião saiu de Guarapuava com destino a União da Vitória. Os dados da decolagem detalham que a aeronave era um Piper PA-34-220T Seneca V, prefixo PR-DMC, operado por Siderquímica Indústria e Comércio de Produtos Químicos S/A. Além de Bernardo Ribas Carli, embarcaram o piloto, Laércio Tavares, e mais uma pessoa ainda não identificada.

O parlamentar teria agenda política e iria participar da tradicional festa do motorista em União da Vitória, com o prefeito Santin Roveda. “Eu achei que ele viria de carro”, disse o prefeito. “Eu imagino que o piloto deveria ter consciência que União da Vitória é fechada”, afirmou Roveda sobre as condições atmosféricas que dificultam pousos e decolagens no Aeroporto Municipal José Cleto.

Roveda recebeu uma mensagem de Carli, pouco antes da decolagem de Guarapuava, perto das 8h50, informando que ele iria de avião. O prefeito então foi ao aeroporto da cidade, onde horas depois recebeu informação sobre a tragédia. O governo do estado e a Assembleia Legislativa decretaram luto de três dias.

O parlamentar

Bernardo Ribas Carli era irmão do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, que foi condenado pela morte de dois jovens em um acidente de trânsito em Curitiba, em 2009.

Natural de Guarapuava, no centro-sul paranaense, Bernardo Carli era administrador de empresas e cumpria seu segundo mandato como deputado estadual.

O corpo do deputado será velado na prefeitura de Guarapuava, em cerimônia aberta ao público a partir das 8 horas desta segunda-feira (23).

Fonte: Gazeta do povo

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui