Autoimagem renovada

“Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lheconcedeu.”(Romanos 12.3)

Um dos problemas com que precisamos lidar, tanto em nós mesmos quanto nos outros, e que causa muitas dificuldades e constitui-se a fonte de diversos problemas, é nossa imagem própria ou autoimagem. Em alguns ela está destruída e em outros é uma ilusão. Sentimentos de inferioridade e prepotência podem alternar-se ou um deles ser preponderante. É difícil dizer qual dos dois extremos mais caracteriza nossa sociedade, mas certo é que falta-nos equilíbrio. Independente da condição social, grau de instrução ou aparência física, o pecado afeta a todos e, como pecadores, podemos fazer mal à autoimagem alheia. Quando a autoimagem está distorcida, a visão da vida e do próximo também ficam distorcidas. Precisamos melhorar. Precisamos de cura.

Ser pecador significa que não vivemos segundo a vontade de Deus e isso nos prejudica bastante. Não faz mal a Deus, faz mal a nós mesmos! Nossos relacionamentos ficam confusos, para dizer o mínimo, pois faltam amor, respeito, humildade, sabedoria, bondade e tantas outras coisas indispensáveis. Deveríamos ser uma benção uns para os outros, mas às vezes somos um problema, somos o que motiva a tristeza e a dor no outro, e vice-versa. Acabamos nos ferindo. Às vezes, mesmo pais, os mais interessados em apoiar a saúde emocional de seus filhos, são os causadores de suas enfermidades emocionais, distorções na autoimagem. Paulo nos orienta a buscar o equilíbrio (saúde) na fé. Devemos sair do centro e colocar Deus no centro. Ninguém nos vê tão correta e claramente quanto Deus. Podemos confiar e nos orientar por Ele.

Deus nos ama e ama a todos. É misericordioso e cheio de graça. Ele nos envolve em Seu Reino, um Reino onde nos tornamos membros uns dos outros – corpo de Cristo. Nele, a mão não pode vangloriar-se contra o pé ou os olhos contra os ouvidos, e nenhum deles devem desvalorizar-se por não ser como o outro! (1 Co 12.14-27) Somo reunidos numa comunidade, a comunidade do Reino, em que aquele que está firme não deve condenar o que cai, mas servi-lo, e os fortes não devem desprezar os fracos e nem o maduros, os imaturos. Somos chamados a seguir a Cristo e aprender a amar e servir (Fl 2.5-11). Quando amamos e servimos, encontramos cura para as feridas que adoecem nossa autoimagem e nos tornamos bênçãos para nosso próximo. O que você pensa sobre si mesmo? Você tem sido uma bênção para outros? Deixe Deus renovar sua autoimagem!

ucs

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui