Assessora da Câmara de Teixeira tem fotos íntimas vazadas

vereador Jóris de Gel. Foto Ascom

O vereador Jóris de Gel recomendou à mesa diretora na manhã de quarta-feira, 04 de março, que solicite uma varredura por parte do serviço de Tecnologia da Informática (TI) em todos os computadores da Câmara de Teixeira de Freitas, na tentativa de identificar o autor do crime virtual que resultou no vazamento de fotos de uma servidora da Casa.

A assessora, que teve seu nome preservado durante o pronunciamento do vereador, teve seu e-mail invadido e as fotos íntimas vazadas nas redes sociais, o que gerou uma espécie de ‘linchamento virtual’.

Ao contrário do que foi ventilado nos bastidores, as imagens não teriam sido feitas no interior da Câmara, que ainda assim, teve seu nome ligado ao crime virtual, o que motivou o vereador Jóris a pedir análise de todos os computadores.

Jóris destacou, ainda, que o culpado precisa ser identificado e punido com base na Lei Carolina Dieckmann, 12.737, sancionada em 30 de novembro de 2012 pela ex-presidente Dilma Rousseff.

Mais cedo, antes do pronunciamento do edil, a vereadora Erlita Freitas (PT), única representante feminina da Casa, fez um discurso firme em defesa da servidora, “isso é crime e não podemos ficar de braços cruzados”, destacou Erlita anunciando uma moção de repúdio para a próxima sessão.

Fonte: Sulbahianews

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui