Assaltantes teriam levado dinheiro de dois dos três cofres da Prosegur em Eunápolis

Há bastante divergência nas informações sobre o mega-assalto, mas, extraoficialmente, estima-se que mais de R$ 40 milhões foram levados

40 homens fortemente armados com fuzis e metralhadoras explodiram a sede da Prosegur em Eunápolis na madrugada de terça-feira (06/03). No cenário de guerra deixado pelos criminosos, 30 kg de explosivos foram desarmados por policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Muito dinheiro espalhado em meio aos escombros, explosivos e o prédio em ruínas. Diante deste cenário, é possível afirmar que os cofres não foram arrombados?. Fotos João Alcides

Os eunapolitanos de áreas próximas contam que por 40 minutos foi possível ouvir muitos tiros e o som das explosões. Um vigilante da empresa foi assassinado e cinco funcionários que trabalhavam na tesouraria ficaram gravemente feridos pelos escombros.

Em nota, a Prosegur, empresa espanhola cujo patrimônio estimado, divulgado em 2014, era de mais de 3 bilhões de euros, lamentou a morte do colaborador e disse estar auxiliando os feridos. Quanto a valores, no pronunciamento oficial, se ateve apenas a dizer que os criminosos não tiveram acesso ao cofre “graças à instalação de sistemas de segurança e tecnologia de ponta feito pela companhia em nível nacional para todas as filiais da Prosegur no Brasil, tornando o acesso ao dinheiro inviável e por isso os valores não foram levados pelos bandidos”. Não há nenhuma outra menção em dinheiro no comunicado.

Estranhamente, fotos do local do crime mostram outra realidade: muito dinheiro, sobretudo notas de R$ 50 e R$ 100 entre os escombros. De onde saiu todo esse dinheiro se os bandidos não penetraram o cofre? Há informações não oficiais de que criminosos teriam levado apenas o que estava sendo contado na tesouraria no momento do assalto, sendo o valor variante entre 100 mil a 1 milhão de reais. Prosegur não comentou nada sobre isso.

Outra informação exclusiva que OSollo teve acesso é que seriam três cofres, dos quais, dois foram arrombados e seus valores levados, o terceiro ficou soterrado pelos escombros. Há bastantes divergências, mas, com as fotos e estes novos dados, estima-se que mais de R$ 40 milhões tenham sido roubados pela quadrilha organizada.

Interessante informar que no assalto à Prosegur de Ribeirão Preto/SP, em 2016, com semelhante esquema, segundo a Polícia, a quadrilha levou R$ 50 milhões, no entanto, como no caso em Eunápolis, a Prosegur não confirmou valores.

Na quarta-feira (07/03), carros usados no crime foram encontrados cerca de 70km distantes do local, numa área rural entre Cabrália e Belmonte, todos cobertos por um material verde para camuflá-los e dificultar a localização. Suspeita-se que lanchas também tenham sido usadas na fuga.

Veja mais fotos!

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui