Costa do Descobrimento terá representantes na III Rodada Artesanato Bahia

O artesanato da Costa do Descobrimento terá dois representantes na III Rodada Artesanato Bahia, de 27 a 29 de julho, em Salvador. Edimilson Martins, de Coroa Vermelha (Santa Cruz Cabrália), e Célia Amorim, de Porto Seguro, foram escolhidos para representar os artesãos na última reunião do Comitê Gestor do Projeto de Artesanato no Extremo Sul, na semana passada.

A reunião, no Ponto de Atendimento Empresarial de Porto Seguro, contou com a participação dos representantes dos núcleos de Itaporanga, Arraial D’Ajuda, Porto Seguro, Coroa Vermelha e Ponto Central. “Esta é uma reunião que fazemos regularmente para avaliação e para fazer o planejamento das ações”, explicou Enivaldo Piloto, gestor do projeto.

O artesanato é um dos principais veículos condutores do turismo na Costa do Descobrimento, e os artesãos queriam representantes na Rodada de Negócios que conhecessem os produtos e a capacidade de produção local e que tivessem boa comunicação, experiência em outros eventos, agilidade nas decisões e capacidade de organização individual.

Mas o fator principal que pesou na escolha de Célia e Edimilson foi o espírito de grupo da dupla, o que vai garantir que os artesãos divulguem e negociem as peças de todos. Célia, que trabalha com peças feitas em tear, acredita que o encontro será de vital importância para o desenvolvimento do grupo. “As capacitações promovidas pelo Sebrae só nos fizeram crescer e este agora é mais um passo importante para nós”, ressaltou.

Edimilson, além de representar todos os artesãos, vai mostrar seu trabalho singular: ele confecciona quadros feitos com pó de mármore colorido, que vende em sua loja na aldeia pataxó de Coroa Vermelha. “Somente eu faço esse trabalho nessa região e tenho certeza que minhas peças farão sucesso na Rodada”, acredita.

Segundo o coordenador regional do Sebrae no Extremo Sul, Jorge Cunha, o setor de artesanato é uma das prioridades do Sebrae na região. “O artesão, além de gerar emprego e renda, através da sua arte afirma a cultura e as tradições do lugar”, destacou. Para Enivaldo Piloto, a participação dos interessados, dos parceiros e do público-alvo no planejamento das ações do projeto é extremante importante. “Só assim é possível termos uma atuação adequada para atender as necessidades apresentadas pelos artesãos. Um dos focos estratégicos do Projeto de Artesanato Extremo Sul é o fortalecimento da governança, e isso se dá também através do Comitê Gestor”, explicou.

O projeto de artesanato conta com parceiros como Associação de Mulheres Artesãs de Ponto Central, Associação de Moradores de Ponto Central – Núcleo de Artesanato, Cooperativa de Artesanato Pataxó, Cooperativa de Artesanato de Itaporanga e representantes dos Núcleos de Artesanato de Trancoso, Arraial D’Ajuda e Porto Seguro.

 

Fonte: Débora Vicentini

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui