Após relatos e vídeos feitos por mães, Youtube diz não ter encontrado Momo

Após relatos e vídeos feitos por mães, Youtube diz não ter encontrado Momo. Foto reprodução

Sabe aquele vídeo do Baby Shark que impregna em nossas mentes de tanto que as crianças ouvem? Então, em Vitória/ES, há um relato e um vídeo feito por uma mãe da assustadora boneca Momo surgindo no meio das imagens.

O relato da filha de seis anos mudou a segunda-feira (18) de uma dona de casa, de 28 anos, em Cariacica, Região Metropolitana de Vitória. Pouco antes de a criança ir para a escola, a capixaba se deparou com uma conversa que a surpreendeu. Amedrontada, a menina falou que a “Momo” estava ensinando a pegar a faca ou qualquer outro objeto cortante para cortar os pulsos, a barriga e o pescoço.

Momo é uma personagem criada a partir de uma escultura de um artista plástico japonês, que possui olhos esbugalhados, pele pálida e sorriso sinistro. Ela ficou conhecida depois que um vídeo chamado “Desafio Momo”, que envolvia roubo de informações pessoais, incitação ao suicídio e extorsão, viralizou na internet no ano passado.

Nesta segunda-feira, foi noticiado que a imagem estaria aparecendo no meio de vídeos do Youtube que são voltados para o público infantil. Quando aparece, ensina crianças o passo a passo para o suicídio.

“Ontem (domingo) eu tinha notado que minha filha estava mais tristinha, calada. Aí hoje, eu estava no banheiro, ela chegou e me perguntou se poderia conversar com o espelho. Eu expliquei que a gente deve usar o espelho para se olhar e não para ficar conversando. Então ela disse que precisava de uma faca para cortar o pulso, pescoço e barriga, porque a Momo tinha falado isso em um vídeo. E se ela não fizesse a Mono viria durante à noite e faria isso com ela”, conta.

O relato da criança ligou o alerta na mãe, que nunca havia ouvido falar sobre a Momo. Depois disso, ela começou a pesquisar na internet e se assustou com o que viu.

“Eu estou em pânico. Comecei a pesquisar sobre o tema e não vou deixar minha filha ver mais nada no Youtube”, disse.

“Ela ficava vendo vídeos no celular, ou na televisão no quarto dela, mas nunca pensei que pudesse ser desse tipo. A partir de agora vou fiscalizar tudo. Estou tão assustada que desde que ela me disse isso não consegui nem mais lavar um copo dentro de casa. Estou na internet pesquisando o tempo todo”.

Outros relatos, divulgados pela Revista Crescer, envolviam o aparecimento da Momo em vídeos de Slime, tudo no YouTube Kids, que deveria ser isento deste tipo de conteúdo. No Facebook há vídeos comprovando a aparição e diversos relatos de mães com filhos assustado.

Mas, o YouTube Brasil comunicou nesta segunda-feira, 18, não ter encontrado nenhum vídeo que promova um ‘desafio Momo’ no YouTube Kids. A empresa pediu que os usuários denunciem qualquer conteúdo nocivo ou perigoso que apareça no site.

No exterior, o YouTube já havia reportado, no final de fevereiro, que eram falsos relatos de que estariam reaparecendo na plataforma vídeos em que a personagem Momo promove o suicídio.

Em grupos de WhatsApp e nas redes sociais, pais têm relatado que os filhos se depararam com a assustadora boneca japonesa em vídeos que estimulariam o suicídio. Embora a imagem de Momo possa aparecer no YouTube normal (em vídeos de notícias ou de discussão sobre o fenômeno, por exemplo), na plataforma para crianças a foto da escultura é proibida. Também não é possível pesquisar pelo termo ‘Momo’ no aplicativo infantil.

Segundo a empresa, o YouTube Kids utiliza “uma mistura de filtros e comentários de utilizadores, além de revisores humanos, para que os vídeos no YouTube Kids sejam adequados a toda a família”.

Apesar disso, é recomendável que pais acompanhem os vídeos assistidos por seus filhos em plataformas digitais. Qualquer conteúdo nocivo pode ser denunciado e bloqueado.

Informações: Gazeta online

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui