Após dias na UTI, sertanejo pede desculpas por vídeo em que ironiza o coronavírus

Cauan Máximo após sair do hospital recuperado da Covid-19 — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Após se curar do coronavírus e deixar o hospital, o cantor Cauan Máximo, da dupla com Cleber, pediu desculpas por um vídeo em que aparece ironizando a doença. Na imagem, gravada em março, o artista bate no peito e “brinca” que não tem medo do vírus. Atualmente, o músico disse estar arrependido pela forma como agiu e pediu que as pessoas “deem a importância que a Covid merece”.

“Eu me arrependo. Aquilo foi uma infelicidade muito grande. Uma ignorância que eu paguei caro. Eu quero pedir desculpas mesmo e me retratar, me retratar como? Pedindo que as pessoas deem a importância que a doença merece, a importância que a Covid merece”, disse.

O cantor citou ainda “vários erros” que cometeu durante a pandemia. Ele acredita que tenha transmitido o vírus aos seus pais, que atualmente estão hospitalizados com a doença.

“Infelizmente, cometi vários erros nessa pandemia […]. Por exemplo, meus pais estavam isolados já há cinco meses e, Dia dos Pais, eu estive com eles. E você exagera ali na emoção. Eu acredito que a gente tenha excedido um pouco. Num vacilo, eu transmiti pro meu pai. Minha mãe foi contaminada a posteriori, porque meu pai passou para ela. Então, o isolamento é essencial”, relata.

Cauan recebeu alta médica na última quarta-feira (26), em Goiânia. O artista ficou 14 dias internado se recuperando do coronavírus, sendo nove em uma UTI. Na rede social, Cauan diz que seus pulmões precisam ganhar força: “Estamos firmes na fisioterapia aqui, trabalhando firme nos pulmões”.

Segundo o músico, o cansaço e a respiração ofegante são resquícios das duas semanas que passou internado na UTI com a doença. Cauan conta que durante o período de internação não teve medo de morrer, mas teve duas crises de pânico.
“Eu não tive medo de morrer. Eu acreditei que eu fosse voltar, que eu seria curado, mas eu tive dois surtos muito fortes que, naquele momento ali, eu preferia morrer do que sentir o que eu tava sentindo. Não sei explicar o que eu senti. Uma crise de pânico, sei lá, junto com falta de ar, talvez. mas eu não me lembro muito bem”, conta.

Nessa semana, Cauan começou um tratamento em casa. Serão várias sessões de fisioterapia para reabilitar os pulmões, que estão comprometidos por conta da Covid-19. Segundo o fisioterapeuta que acompanha o músico, Juliano Vieira, é um trabalho para reaprender a respirar e aumentar o fôlego, tão importante para todo mundo e, principalmente, para Cauan, que é cantor.

“Ele teve 75% de comprometimento. Na situação do pós Covid, o que é que acontece: o processo inflamatório já se foi, já acabou, porém, ele deixa algumas lesões. A intenção maior agora é a gente abrir todas as áreas do pulmão”, disse o médico.

Por ele ser cantor, a fisioterapia é ainda mais essencial. “Muito importante. É isso que vai dar o volume de ar para ele poder soltar a voz na hora de cantar, de atingir algum tom”, relatou.

Mudanças

Após recuperação da Covid-19, Cauan fala que está valorizando mais a vida e momentos com a família. “Um abraço da mãe, um beijo do pai e um beijo no seu filho, na sua filha, é algo que tem mais valor do que cê imagina”, desabafou.

Ele disse ainda que, quando estava na UTI, se sentiu vulnerável. “Naquele momento ali, que eu estava na cama de UTI, de importante não existe nada. Ali eu sou o Charles, ali eu sou o vulnerável, eu preciso, ali, eu preciso das pessoas, ali eu preciso de Deus. Eu estava num leito de UTI, poderia morrer a qualquer momento. Eu queria sair dali um novo Charles, sair dali para ajudar as pessoas, sair dali pra corrigir os meus erros, sair dali pra evoluir como ser humano”, revela.

Aniversários no hospital

O cantor, que passou o aniversário de 38 anos internado no hospital, também teve de comemorar os 62 anos da mãe no hospital. O cantor e o irmão, o médico Fernando Máximo, fizeram uma “festa”, com direito a balões e bolo, para a mãe deles, no sábado (29). Os dois, que já se curaram da Covid-19, puderam abraçar a mãe, com autorização médica.

Shirlei esperava comemorar a data em casa, com toda a família curada do coronavírus. “O desejo do meu coração hoje é triplo: que possamos sair do hospital, eu, meu esposo, meu filho, para comemorar juntos o meu aniversário dia 29”, diss em um vídeo divulgado no último domingo.

Informações: G1

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui