Ao enfrentar dores e tristezas

“Então foram para um lugar chamado Getsêmani, e Jesus disse aos seus discípulos: Sentem-se aqui enquanto vou orar. Levou consigo Pedro, Tiago e João, e começou a ficar aflito e angustiado. E lhes disse: A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem.”  (Marcos 14.32-34)

Quanto enfrentamos tristezas, quando a angústia é nossa amiga íntima, podemos aprender com Jesus a enfrentá-la. O texto de hoje nos apresenta o momento mais angustiante da vida de Jesus. Não foi o único. Ele disse aos discípulos: neste mundo vocês terão aflições (Jo 16.33). Ele sabia por experiência que era assim. Na profecia em Isaías, aplicada a Jesus, o profeta afirma: “Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de tristeza e familiarizado com o sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima.” (Is 53.3) O momento descrito em Marcos 14 nos dá lições importantes sobre como enfrentar a dor e tristeza que, se pudéssemos, evitaríamos.

Precisamos de um lugar para lidar com a nossa dor. Todos precisamos de um espaço para isso. Às vezes o que necessitamos é um pouco de solitude, às vezes precisamos de privacidade, não sozinhos, mas com bons amigos. Jesus buscou privacidade com amigos mais chegados e depois buscou solitude. Ele pediu aos seus amigos que orassem. Em meio às nossas dores e tristezas, precisamos de amigos que orem por nós. Todos precisamos aprender a orar para que possamos apoiar nossos amigos que sofrem, orando por eles. Os amigos de Jesus não conseguiram apoia-lo naquele dia. Não puderam perceber claramente o que Jesus estava vivendo. Talvez pensassem que Ele nua precisava. Seu Mestre, que havia acalmado o mar e multiplicado pães não precisava de apoio. Mas Jesus precisou e pediu. Por que pensar que somos capazes de lidar sozinhos com nossas dores?

Em meio às nossas dores e tristezas, podemos e devemos buscar a Deus. Mas não devemos subestimar a necessidade que temos de pessoas. Na busca por Deus não temos garantia de que Ele nos atenderá, fazendo que gostaríamos que fizesse. Mas busca-lo não deve se resumir a buscar a solução que desejamos. Deve, sobretudo, ser a experiência de nos vermos acolhidos por Ele. Sabemos com mais clareza que Ele sabe, pois dissemos a Ele como nos sentimos e como está doendo. Jesus orou e se viu diante do silêncio do Pai. Você já se viu na mesma situação? Não pense que Deus não ouviu, ou não se importa, ou não ama você. Nunca será fácil para nós compreender as decisões de Deus. Às vezes, simplesmente impossível. Mas em meio as nossas lutas devemos crer que Ele nos ama. Ao enfrentar dores, procure um espaço para vivê-la, busque o apoio de amigos e busque a Deus.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui